Antes que perguntem, discordianismo uma uma “religião” que acredita que não há ordem, ela acredita unicamente no caos. Não ha base que sustente e mova o mundo e tudo que é ocorre é fruto da poderosa ação e reação gerado pela integração social. Não há Deus ou entidade que controla tudo… Refletindo sobre isso percebi que além de Vinn Moraunst, antigo lider da legião negra ser um Ateu por sua crença, descobri que ele seria um adepto do discordianismoLevando em consideração que as ideias de Vinn são apoidas por mim também… por que não dizer que eu também sou um pouco chegado ao discordianismo?

A crença de Vinn curiosamente é contra a ideia de destino e talvez foi essa concepção que me deixou mais satisfeito. Sempre pensei no destino como algo inexistente. Não somos bonequinhos de vuduu que são espetados e controlados ao prazer de divindades. Mesmo que eu tenha minhas crenças não acredito que não podemos ter responsabilidades por nossos atos e mais que isso, que o que fazemos não faria diferença. Desse conceito criei Vinn, um mago que vê um futuro não como uma previsão divina, mas sim como um calculo complexo de ação e reação, o destino não é inevitável, mas sim calculável… diria Vinn.

A historia parte do presuposto que Vinn abserva algo de muito ruim no futuro, ligado a Legião ou ao mundo… Isso não importava na epoca e talvez eu descobrisse o que era somente mais a frente. O que importava é que a nova liderança gerada por esses aventureiros casuais seria a salvação para o perigo que mais futuramente os jogadores encontrariam. O destino inevitável versus a vontade de fazer a diferença. No final aquilo que foi dado ao grupo por Vinn seria de extrema utilidade para a salvação do grupo e mais, talvez do mundo, não sei… Mas infelizmente a historia acabou sem vermos isso, mas com certeza Vinn fica no meu hall de personagem curiosos e interessantes.

Tanto por ser um mago adivinho, meu primeiro e mais poderoso, quanto por ser basicamente o primeiro personagem aonde criei tão firmemente um background.