Sessão 1 – Confabulando em frente a fogueira

Minha primeira aventura da nova história foi curiosa. Depois de me contagiar com A Torre Negra – Volume 7 pensei no clima curioso que aquele livro consegue trazer… Cenários totalmente improváveis e situações extremamente cool… Pensei em um indio sentado em frente uma fogueira e os jogadores sentados em volta da mesma. Uma escuridão densa os cobre mas não é uma escuridão normal, ela tem vida e a unica coisa que os impede de serem pegos por ela é a fogueira feita pelo índio, o misterioso índio que tem uma verdadeira campanha pronta para os jogadores… Nunca penso muito além, deixo as coisas fluirem e vou formando a historia de acordo. Nessa historia percebi que houve uma boa atenção por parte de todos, eles realmente queriam e precisavam entender o que estava acontecendo.

Foi legal e não ouve nenhum combate para tristeza dos jogadores. Mas foi divertido, definitivamente. (Quando puder posto as fotos)

Sessão 2 – O Cidade das Aranhas – Uldum



Eles não desistem, vão jogar RPG até o fim dios tempos… eu também.

Paula, o Marcio e a Sati faltaram. Mestrar somente para 3 pessoas já é um costume, mas confesso que já estou me acostumando a mestrar para um grupo grande… Alias, senti falta dos jogadores que faltavam, mas foi interessante. Novos elementos da historia foram apresentados e cada vez mais me sinto em uma mistura de a Torre Negra com toques pessoais meus. Um combate sobre o esqueleto gigante de um dragão contra um grupo Gnolls da um otimo começo a história para animar os jogadores e a presença do “Gah” uma especie de amuleto que dá poderes especiais a seu usuário é minha nova forma de “dar poderes” aos mesmos. Procurei uma forma mais sutíl de habilidades que um exercito de 400 a 500 homens…

Sessão 3 – A Fuga



Chinelinho ROSA Max!!! Coisa de miguxo!



Eles de novo…



E de novo…

Foi definitivamente uma sessão divertida… Houve pouquissima coisa. perdemos mais tempo rindo das besteiras que o Sapo e o Max faziam que jogar por si só. Os jogadores fogem do misterioso inimigo e nem ao menos sabem o que fazer na cidade. O mestre lógico da uma ajudinha e adianta a historia da Phan que não estava presente e com isso ajuda o jogadores que obviamente precisavam de uma luz… Infelizmente eles são péssimos infiltradores e sinceramente não conseguem arrumar outra alternativa senão abrimos a porta e batemos em todo mundo… A aventura terminou com eles entrando direto na boca do leão…preferi até terminar a sessão… Naquele dia já me diverti pra caramba…

As fotos vou atualizar depois que eu conseguir tirar do meu celular…