alvares.jpg

Manuel Antônio Álvares de Azevedo (São Paulo, 12 de setembro de 1831 — Rio de Janeiro, 25 de abril de 1852) foi um escritor da segunda geração romântica (Ultra Romântica, Byroniana ou Mal do Século), contista, dramaturgo, poeta e ensaísta brasileiro.

Extraido da Wikipédia

Quando eu acho que não vou me surpreender mais me aparecem coisas desse tipo. Estava eu fazendo minha leitura geral do site REDE RPG quando me deparo com a então notícia do rpg “Malditos! regras para um cenário azevediano de RPG”, de autoria de Campo D’arvore, aonde o autor descreve as cartas achadas de um inventário que cuidava e que era de um fazendeiro já falecido.

Nada mais clássico que Noite na Taverna e sua série de contos terríveis (e malditos!) regados a influencias Ultra Romanticas… Tenho um amigo que faz letras na UFF e com certeza quando eu falar sobre RPG ela vai jogar com toda certeza desse mundo! Ele é fã da obra de Alvares de Azevedo…

O livro descreve os capítulos como cartas individuais devidamente agrupadas, dando um clima a mais para a adaptação, além de utilizar um escrita mais rebuscada. A descrição da ideia pelo qual o autor das cartas de RPG resolveu criar o jogo foi otima! Uma “brincadeira inocente” aonde um d12 resolvia toda situação:

“Cada um lançava um dado, selecionando um parceiro; então, ambos descobriam aleatoriamente quais regiões deveriam tocar-se lascivamente. Bem sabes, detesto baralho. Se algo do tipo deveria ter lugar, os poliedros vieram a calhar; “

Orgias, boemios, amores proibidos, pecados e morte tudo aquilo que é o Mundo Azevediano esta ali. Só por favor, não pensem que o jogo de RPG é a descrição acima. Segundo o autor das cartas lidas por Campo D’Arvore ela foi a “inspiração” para tudo mais. Tristemente, o sistema de regras é meio chatinho de se aprender, que tornaria a entrada de fã de literatura e não jogadores de RPG mais complexa.

Outro detalhe negativo (que já não é tão negativo assim) fica por conta do livro ter um tema pesado demais, gerando assim um certa incapacidade de tal obra ser utilizada didáticamente a menos que seja sumáriamente retalhada. Ok, o atrativo desse rpg é esse clima sujo e amaldiçoado que cerca os personagens, fadados a desgraças, mas é uma pena. Temos que ter mais RPGs voltados para educação, mostrando seu grande potencial para tal coisa…

Por pontos positivos, além da ideia do livro e a ambientação somada a regras que é pra lá de interessante, fica por conta da descrição do que é RPG. Nunca vi uma discussão tão interessante sobre o que é RPG, palmas para o autor, realmente vale a pena o que li.

Para quem quer ler malditos, ele pode ser pedido gratuitamente por E-mail. Vou ver com o autor e se ele me autorizar, gostaria de disponibilizar para download, vamos ver… Se você quer pedir Malditos! faça o seguinte:

Envie uma mensagem dizendo “Quero o Malditos!” para o E-mail noitedoseculo@bol.com.br e você receberá um lindo PDF de 136 páginas com essa facinante proposta.

Alias, o RPG continua evoluindo, novas regras estão sendo devidamente criadas para melhorar o sistema e podem ser conferidas no site REDE RPG, fora a promessa do distribuidor de melhorar e aperfeiçoar as regras. Vamos ver! Tenho que ligar para um amigo agora, tenho que convida-lo para um partida de RPG pra lá de Maldita… (No bom sentido, lógico…)

Nota: Disponibilizei o arquivo de  Malditos! na sessão de Downloads.