Estava conversando com a Hydra sobre como me sinto um alienigena em casa, sendo a única criatura ali que lê algo além de bula de remédio… Posso dizer que meu começo foi cedo e com um livro atípico para minha idade. Foi Admirável Novo Mundo de Aldous Ruxley, um livro profético quanto ao comportamente humano no futuro, e foi incrivel como tive paciencia de ler e entender claramente. Hoje em dia realmente me questiono como consegui naquela idade, lá pelos 6 anos ou no máximo 7…

Ler para mim é um habito quase compulsivo. É constrangedor falar que as vezes eu tenho que me proibir de ler para evitar minha dispersão. Sempre fui muito fantasioso e ao ler sempre penso nas possíveis atitudes de um personagem, que rumos ele poderia tomar. Uma verdadeira sessão de O que aconteceria se

Gosto de ler um pouco de tudo. Mas confesso que tenho um certo trauma com Literatura Brasileira antiga, aquela que infelizmente é forçada a que você leia na escola… Acredito que exista um método mais didático de fazer com que você leia um livro, principalmente na idade aonde fui quase obrigado a ler. E obviamente, como quem me conhece deve saber, não Li. E até hoje fico com receio de ler, o comteporâneo me agrada muito mais.

Fato que a Bienal do Livro aqui no Rio de Janeiro está ai e acaba no domingo. Eu e meu grupo estaremos lá no sábado, e lógicamente meus jogadores querem correr para o estande da Devir… Vou buscar um roteiro legal e vou preparar meu bolso para a facada que virá, eu me conheço.

Para vocês terem noção li o ultimo dos 7 volumes de A Torre Negra faz 1 semana (livro alias, que tenho que fazer um resenha para este blog), terminei ontem, A Madona de Cedro, que me surpreendeu, muito engraçada e já teve até minisérie da mesma na TV Globo. Agora estou começando a ler Os Piratas mais temidos da história, um livro que vai me ajudar na próxima parte da minha campanha e é bem divertido, depois vou falar um pouco sobre ele. E depois (sim, tem depois…) ainda tem Quando Nietzseche Chorou, um livro que me foi muito recomendado e gerou a mania atual de livros sobre filósofos muitas vezes em situações do tipo O que aconteceria se.

Só voltando um pouco para o RPG… Todo rpg é baseado em um tema que muitas vezes é baseado em uma literatura. Vampiro, A mascara na literatura de Anne Rice, D&D do clássico Senhor dos Aneis e uma infinidade de outros livros de fantasia. Mundos famosos normalmente lançam livros sobre seus personagens, vide o Crânio e o Corvo e Inimigo do Mundo do cenário de Tormenta e uma série de literaturas sobre Forgotten Realms (Drizzt D’Urden ruleia…) e a verdadeira enchurrada de livros que se encontra sobre o mundo de Dragon Lance. Gêneros CyberPunks inevitavelmente nos arrematam a Blade Runner, Neuromancer e por ai vai…

O que eu quero dizer com isso? O RPG cria hábitos novos a seus jogadores, a empatia com cenário as vezes quebra aquele desconforto na hora da leitura, o leitor lê algo que ele se sente em casa. E se ele lê por causa do RPG meus caros, então não me parece o RPG é um instrumento que pode trazer malefícios a um indivíduo, pelo contrário, ele só ganha.

Nota: A Bienal do Livro tem um blog. É o blog do Guto.

Anúncios