A algum tempo atrás, meu jogador Alberto assistiu Eclipse Mortal com Vin Diesel, filme que eu sempre recomendava e lá, fiquei feliz dele ter percebido uma referência direta a minha campanha. Não ligo que descubram de onde tiro minhas idéias. Usar referências e copiar ideias de filmes para uma historia de RPG me parece justo, até mesmo por que só a historia que será copiada, os jogadores e suas ações por si tratam de tornar o desenrolar singular. A menos que o mestre queira que a historia sai exatamente do jeito que ele viu, que na maioria das vezes (convenhamos…) não vai dar muito certo.

a lenda
Quem já assistiu A lenda com o Tom Cruise? A fadinha que era apaixonada por ele e aquele vilão que me dava medo pra caramba quando eu era pequeno mais novo… Ao lado, a Liga Extraordinária de Alan Moore, adaptada péssimamente nos cinemas. Perdão para quem gostou, por favor leiam o original…

Passeando pela Casa & Video no shopping aonde trabalho aqui no Rio, sempre procuro DVDs de filmes em promoção interessantes e as vezes abandonados, deixados de lado. Assim comprei Blade Runner (versão do diretor) por um preço de banana, por exemplo. Sempre quis assistir Blade Runner e não me arrependi, ele realmente é uma grande referência para o gênero Cyberpunk junto com alguns outros filmes e livros…

mar a dentro

Mar Adentro é um bom filme, mas um filme anterior de seu Diretor, Tesis – Morte ao Vivo, que me impressionou. Apareceu perdido em uma sessão de InterCine que as vezes eu me dispunha assistir por falta de sono e me cativou e realmente assustou. Assistam, a cena dos mocinhos no corredor escuro com apenas um fosforo iluminando eles é caustrofóbica…

Nesses passeios lembrei como usamos coisas que assistimos nos filmes, essas apresentações de 2 horas ou um pouco mais que buscam nos entreter como apoio para nossa historia. Muitas vezes indiretamente fui pego colocando algo e depois o jogador comentando: “você fez igual naquele filme hein phil? As vezes posso até negar, mas acabo me convensendo que foi um escolha inconsciente.

Ha vezes aonde a escolha não é tão inconsciente assim. Minha campanha atual resolvi que teria uma série de referencias a filmes e coisas que leio por vontade propria. Me pareceu divertido e de certa forma o Dados Limpos surgiu também como um local para eu expor essas referências. Tudo bem, no final descobri que tem gente que lê meu blog e nem é do meu grupo e nem conhece nada de rpg, mas se diverte lendo minhas palhaçadas historias. Hoje mesmo, uma amiga que não tem nada haver com a historia, nunca jogou rpg, comentou sobre uma matéria que escrevi sobre Alvares de Azevedo e seu jogo de RPG Malditos!… Eu nunca imaginei que ela lia meu blog, não posso negar que fiquei feliz.

Dungeon and Dragons

Sinceramente, Dungeons and Dragons – O filme foi um verdadeiro desastre… O pior é insistirem e fazerem um filme 2 e 3 do mesmo… acreditem se quiser…

Como referência vejo que todos os estilos de filme acabam por ajudar a compor uma historia. Já vi o Jeff, meu primeiro mestre e jogador, nos levar de uma historia de super herois para um verdadeiro faroeste e incrível… Como eu gostei da historia. Ele alias, sempre que via um filme usava o mesmo como referência discarada.

Acreditem, se você não tiver preconceitos e deixar a historia fluir, aquele clima diferente ditado fica muito bom. O Fato é que um mestre na maioria das vezes tem um ritmo de jogo, e os filmes com seu ritmo proprio, imposto obviamente pelo diretor, acabam por dar uma dinâmica diferente ao jogo quando o mestre copia a idéia. Da uma cara nova que tira os jogadores da rotina…

E vocês jogadores? Já jogaram a ideia de algum filme? Já se surpreenderam com um referência a alguma historia que era totalmente diferente do gênero da campanha? E vocês mestres? Já usaram muitos filmes como referências diretas? Quero a palavra de vocês…