Pretendo sujar esses dados...

É, eu sei o que parece, com um título destes, surge à impressão de que eu vou implicar com o blog do Fiu, o Calvo; Dá a entender, que eu vou ficar fazendo comparações medíocres de como o Dados Limpos é bonzinho e o Dados Sujos é nervoso/boladão/cheio de ódio. Até irei fazer isto, porque essa é uma das propostas (ser malvado é muito bom! Huá há há há), mas não agora, até mesmo porque o Dados Sujos só está no começo e tempo é o que não falta (bem, na verdade falta tempo sim, mas fazer o que né).

Para você, usuário da informática que está acostumado com o termo dado(que pode ter vários sentidos), normalmente, quando ler esta palavra por aqui, não estaremos nos referindo a dados de computador, mas sim a dados de jogo que dão o nome aos blogs e… Há! Quer saber? Se estiver interessado nessa explicação chechelenta, dá uma lida no artigo anterior que lá está explicado (estar interessado em explanações deste tipo é um possível indicativo de que tu és um desocupado).

Vamos ao que interessa, a meta deste post é mostrar para você (é, você mesmo!), que tu não é tão bonzinho como pensava, provarei por meio de um teste simples, que você vem sujando seus dados há muito tempo.

Este simpático instrumento (me refiro ao dado), que acompanha todo o bom errepegista, deve ser domado, para que possa servir melhor à vontade de seus mestres (nós, jogadores) e atrapalhar as atrocidades do mestre (mestre mesmo, entendeu?). Eu sei que os dados são fundamentais e é bom ter vários de cada, mas porra, tá foda, R$ 3.00 em cada dado é mais que um assalto, chega a ser estupro. Ui!.

Abaixo estão listadas algumas situações da sua rotina semanal. Seja honesto para que a verdade possa ser revelada (seja honesto, o que estou dizendo?), marque os tópicos no qual, você se identifica com a situação, e some corretamente os pontos correspondentes.

1 Sujar os dados para salvar a pele: Afinal de contas, qual é o controlador de personagens que nunca omitiu aquela falha crítica no momento decisivo? Pegando rapidamente o dado rolado, impedindo o mestre de observar claramente que o n° 1 estava para cima e ainda mentindo na cara de pau “1? Não, foi 11”, o mestre tolo, mais uma vez ludibriado fica com a pulga atrás da orelha, mas como um cordeirinho, resolve acreditar no jogador e prosseguir com o jogo. Se algum dia, você já cometeu tamanho sacrilégio, então acaba de ganhar 2 pontos no lado sombrio da força dos dados.

2 Sujar os dados para rasgar a pele: Este pecado é considerado capital na terra dos dados limpos. Imagina aquela situação, onde você desfere o seu ataque especial/poderoso/saltitante/maximizado… potencializado/flamejante/elétrico/gelado e faz uma rolagem de dados tão tosca na hora do dano, que não valeu nem a pena desperdiçar tanta mana/ki/cosmo/MP para realizá-lo ou turnos gastos concentrando/conjurando o ataque e possíveis ataques de oportunidade tomados enquanto mirava. Depois que todos os 137 dados de dano param de rolar, você vê que conseguiu o dano mínimo (e fica puto, é claro), então sua mente diabólica só tem uma saída: Sujar os dados, você se aproveita daquela mina gostosa que por ventura passou na hora H e enquanto seu mestre falha no teste de concentração, você aproveita e muda a posição dos dados colocando todos com o resultado máximo. Quando seu mestre recobra a consciência, ele nota que os PVs do dragão dourado ancião, foram subitamente reduzidos a zero, e se ele pede para rolar de novo porque não viu, você diz que não vai dar porque foi uma rolagem honesta e dá muito trabalho somar os resultados de novo. Sinto em dizer, caro ladino das rolagens, se você já fez algo parecido com isso, acrescente mais 4 pontos ao lado sombrio da força dos dados.

3 – Sujar os dados para resistir ás tentações: Lembra naquele dia, em que um mago ilusionista fez seu personagem pensar, que a orc-fêmea maculada morta-viva na sua frente era uma prostituta de luxo gostosissíma em liquidação? Pois é, lembra também, que o teste para resistir a ilusão era baseado no seu carisma de bárbaro contra a inteligência do mago? É, eu sei, você não tinha outra saída, não é mesmo? Tinha que sujar seu dado, você deu R$ 2,00 para o mestre comprar sorvetes com os Mac’scravus, enquanto rolava ao mesmo tempo desviando sua atenção, quando ele volta, você diz que já conseguiu resistir porquê tirou um crítico na rolagem, e mais uma vez o mestre cai como um patinho (mas desta vez pelo menos lucrou uma casquinha). Notou certa semelhança com algum ato seu, se a resposta for sim, então acrescente mais 6 pontos ao lado sombrio da força dos dados.

4 – Sujar os dados para se tornar nervoso/boladão/cheio de ódio: Quem é que passa a vida inteira jogando 3D&T, GURPS, Daemon, Storiteller e outros jogos onde se tem pontuação inicial para distribuir e do nada passa a jogar D&D e encara o método de rolagem de atributos na boa? Principalmente, aqueles azarados onde o maior número que tiram é um abençoado 13. Pode confessar, aposto que se isto aconteceu contigo, você arrumou um jeito para roubar e se o seu mestre não anota os números conseguidos então. Vixe! O treze vira quinze, o onze torna-se dezessete, o oito transformasse magicamente em dezoito e até aquele quatro humilde consegue metamorfosear-se em vinte (isso rolando 3d6). Lamento, mas essa atitude é digna de pessoas que já estão completamente dominadas pelo lado sombrio da força dos dados, se aconteceu contigo, some mais 8 pontos.

5 – Sujar os dados para deixar de ser trouxa: Você não consegue mais suportar? Está atrapalhando o teu sono? Então deixe de ser otário! Todo mundo no seu grupo rouba, não é? Todos eles embromam o mestre direitinho. Um rola 20 quatro vezes por sessão, outro tira 6 no teste de ouvir e consegue 21 no resultado final, outro bate com 3d8 e causa 132 puta pontos de dano… e só você não fazia nada? Até que um dia, seus problemas acabaram, você começou com coisas simples, tipo aumentando um ponto de dano no ataque total e dentro de algumas sessões, já estava tentando rolar um D10 ao invés de um D20 para testes e um D12 ao invés de um D6 para o dano; Sem contar as incríveis transformações que os seus resultados passavam, só para você deixar de ser caçoado pelos seus amiguinhos (os outros jogadores que debochavam da sua cara). Isso não se faz, mas se você fez, bem vindo, pois você acaba de conseguir 10 pontos para o lado sombrio da força dos dados.

Análise dos resultados:

Entre 0 e 10 pontos: Maricas. Você é um Emo (ûiiiii) inútil, que não sabe fazer porra nenhuma direito, nem pra roubar serve, seria melhor você procurar ocupações que estejam mais de acordo com o seu perfil, tipo fingir que é um peso de papel, se derramar em lágrimas assistindo o Titanic (Óh Jack, estou voando!) ou tentar cortar os pulsos com um biscoito Cream-Craker.

Entre 10 e 20 pontos: Bobinho. É, você ainda não é um cara legal, mas também já perdeu o posto de Emo (e isso conta muito), você até que tenta sujar os dados, mas falta-lhe talento, e esse tipo de talento, não pode ser conseguido de três em três níveis (e nem pegando nível de guerreiro, tá). Mas não desista, continue assim, o poder sombrio dos dados está entrando em você.

Entre 20 e 30 pontos: Fodinha. Você conseguiu superar a maioria, demonstra dom e astúcia para a coisa, consegue reconhecer que sujar os dados é uma arte que precisa ser observada, reconhecida e aprimorada. Se continuar neste ritmo, logo vai estar dando cabo de uma colônia de Tarrasques sozinho.

Mais de 30 pontos: Trapaceiro Arcano. Você conseguiu algo único, é um herói épico, ninguém borra tanto um dado como tu; Daqui a 6,02×10²³ anos tu se tornará uma lenda (e roubando desse jeito, ainda continuará vivo até lá). Sua única falha foi tentar enganar o senhor dos dados, nós criamos o teste e sabemos que não vai além de 30 pontos…

Se você conseguiu, tornar-se um mestre dos dados sujos, parabéns, tu é o cara e como eu disse, todo mundo já sujou seus dados algumas vezes na vida. Caso queira ser citado como um ladino das rolagens e detentor do lado sombrio da força dos dados, mande-nos um e-mail contando o principal fato onde você ludibriou o mestre e/ou o grupo todo para se dar bem no jogo.

Há e já tirando as possíveis dúvidas, sim, eu copiei o modelo do teste das revistas femininas de fofoca. E daí? (Mas lá geralmente é para saber se ele te ama realmente).

Obs: Falando em sujeiras com os dados, lembro de uma vez em que o Alberto fez de trouxa um antigo mestre nosso, fazendo-o acreditar que o número que ele tinha visto não era aquele e sim outro (veja bem, o mestre tinha visto/olhado/enxergado muito bem o número, mas mesmo assim foi convencido do contrário).

Óbvio que não revelaremos quem mestrava na época, pois isso não se faz, não insista, não revelaremos e pronto.