japonesas praia

Até mestres merecem umas férias não é mesmo? Principalmente os mestres de D&D que moram longe e tem de levar boa parte dos livros na mochila (uns 7 livros…). Alias, todo mestre de RPG deveria ter uma aposentaria por tempo de serviço, será que o governo tem noção de como da trabalho criar uma uma campanha de RPG?

Você pensa, você lê, você compara personagens com desafios, você cria nomes (um desafio assustador para mundos medievais, nomes de personagens e cidades…), você atura uma série de palhaçadas… Historias rápidas é uma coisa, campanhas são bem mais cansativas.

Nesse final de ano, com o fim das minhas provas essa semana (estou estudando como nunca estudei) vou dar um tempo pra minha cabeça e vou me tornar um jogador nesse mês e quem sabe no proximo, dependendo como a historia vai seguir. Tenho um personagem quase-épico para montar e uma infinidade de livros de rpg para ler. BESM D20, Gurps módulo básico e Supers, Tagmar 2 e uma infinidade de open games que depois escrevo aqui…

Fato que esse ano me stressei demais no trabalho, enfiei os pés pelas mãos assumindo compromissos em horários que não deveria… No final de semana, alguns pelo menos, o RPG não foi a mesma coisa.

Mestrar exige um pouco de dedicação e mais, conhecimento do sistema. Por algum motivo estranho não me apeguei bem a D&D. Houve falta de tempo para ler regras com calma, magias, talentos. Talvez jogar não seja tão mal assim, vai descansar minha mente e me ajudar a continuar a campanha nesse ano que vem.

Agora vou me despedindo, esta na hora de voltar a estudar…

Anúncios