Quem nunca escutou esse frase jogando D&D???? 20 Porra! O 20 é o número que representa a felicidade absoluta dos jogadores, e às vezes representa aquela trágica mudança nos planos do mestre.

No nosso grupo temos dois guerreiros que fazem esse acerto critico praticamente toda vez que jogamos.São eles: Alberto e Marcio (os Homens – Vacas), exemplo mais recente… Na ultima sessão o Marcio, com seu personagem Turok, tirou um critico contra um monstro chamado Bebilich um demônio extraplanar com +ou-150 pvs e uma CA altíssima.Turok gritando: “Turok ESMAGA!” Realizou seu ataque saltitante (Leap attack) e simplesmente tirou 20!!!! Ele esmagou realmente um oponente fortíssimo, com apenas um golpe, chegando a causar 378 de dano.

A hora 20 é simplesmente quando o jogador tem o direito de descrever como ele liquidou com o oponente, ou causou aquele impacto gigantesco no meio de um combate, vamos aos exemplos:

Alberto 20Pegar (Homen – Vaca, Guerreiro)Alberto quando mata um oponente com um 20! (sinceramente, isso é normal e freqüente) ele descreve como vai cortar o inimigo ao meio, com sua alabarda taurina aos seus 6 metros de distância (oque é absurdo, 6metros!!!! )

Marcio (Homen – Vaca, Bárbaro Frenético)Marcio normalmente é mais simples, ele simplesmente ESMAGA e ESMAGA mesmo o oponente com seu totten, deixando-o como um papel no chão

Guerreirão

Na verdade vejo esses dois fazendo isso tão freqüentemente que chego a ficar em duvida sobre qual tipo de morte eles prefeririam que eu citasse, lembro que o Alberto logo no inicio da campanha, acertou um critico em um gnoll com uma ação de preparar causando 140 dano, isso superou o Record do Wallace (1º dos Homens -Vacas) que com um único ataque acabou com uma Quimera.

Mas também há aqueles que gostam de interpretar oque realmente seu personagem faz. Meu primeiro personagem com o Máster Fiu (e também meu primeiro personagem de D&D) foi um combatente montado chamado Saywer Mustang Leonhart (três personagens que eu gosto muito, Sawyer da serie Lost, Roy Mustang do FullMetal Alchemist e Squall Leonhart de FFVIII ),nós ainda jogávamos na Martin Vianna uma livraria no centro de Caxias City, nesse grupo havia um jogador chamado Sergio (na verdade havia 2 Sérgios e o mais engraçado e curioso é que eles eram irmãos do mesmo pai ), uma certa vez ele fez um acerto crítico, não chegou nem a eliminar o inimigo mas mesmo assim ele quis descrever como faria, ele levantou da cadeira e fez os movimentos, disse que daria uma cambalhota, depois giraria e finalmente lançaria sua espada ao peito do oponente. Pra min foi uma cena engraçada, porque era iniciante em D&D ainda e simplesmente achava desnecessário aquele monte de piruetas para mostra que acertou o oponente, mas com o passar do tempo achei até legal ele fazer isso, contanto não seja em um Shopping por exemplo.

A idéia do jogador descrever a ação do seu personagem é muito legal, torna o personagem mais importante e mais próximo do jogador, até porque o jogador vai lembrar do como ele derrotou ou como prejudicou o inimigo e não de como ele apanhou ou fico em situação difícil.

Galera uma semana de Dados Sujos, obrigados pela participação de todos, esperamos fazer nosso melhor.