Saiu hoje nas bancas aqui no Rio de Janeiro (pelo menos aqui chegou agora) o manga tão esperado Hunter x Hunter de Yoshihiro Togashi. Achei interessante descrever algumas curiosidades da tradução e publicação. Vale avisar que se você não gosta de Hunter x Hunter nem precisa continuar…

Formato

Fiquei impressionado com o formato do Hunter x Hunter brasileiro:

revista hxh

Se alguém não conhece (acho difícil) da esquerda para direita, Blade, a Lâmina do Imortal (nome idiota), Hunter x Hunter – Volume I e Yu Yu Hakusho – Número I

Se observarem a imagem vocês poderão perceber que o fomato da JBC para Hunter x Hunter esta grande, do mesmo tamanho da Conrad, bem diferente da versão antiga que podemos ver com a revista da historia anterior de Togashi, Yu Yu Hakusho. Alias, outra evolução nos mangas publicados no Brasil é a vinda de Volumes Completos, prefiro ler uma vez por mês o formato “tankobon” que ler pedaços de um volume de 15 em 15 dias ou pior, por mês…

Detalhe que a capa (pelo menos desse primeiro volume) é de boa qualidade e com certeza vale como edição de colecionador. Vamos ver como fica na proxima edição. O desenho da capa é o mesmo do volume 1 original que é pintado pela esposa de Togashi, Naoko Takeuchi criadora da série Sailor Moon. Caso nunca tenha observado, Togashi pinta pessimamente e é perceptível as capas que são feitas por ele…

Aparentemente o acabamento ficou muito bom, nota 10 pra jbc.

Tradução

Bom, sempre tem discussão sobre isso. Mas com a JBC sempre tive várias boas dicas que sua tradução é bem melhor. Em Yu Yu Hakusho eu achava interessante a determinação do tradutor, que traduzia o nome, criava um nome coeso a aquele festival de significados e ainda colocava tudo no rodapé junto com o nome que era usado no anime (que invariavelmente era diferente dos dois anteriores…).

Logo de começo gostei por que o Tradutor optou por não traduzir a palavra Hunter. O bom senso levou ele a respeitar essa coisa japonesa de usar nomes em inglês e logo nas primeiras páginas ainda para ajudar as poucas pessoas que não sabem que Hunter significa Caçador, colocou uma pequena nota de rodapé. Não é pra ofender aqueles tão defensores da lingua portuguesa, uma tradução não é algo escrito aqui, deve-se ter respeito com as ideias de um autor.

Kurapika (que antes mesmo de começar a ficar famoso já era conhecido como o famigerado Urologista) teve definitivamente o nome colocado como Kurapaika. Pergunto-me enquanto escrevo esse post se todos traduzem Kurapika, aqui no Brasil isso tudo é medo de o nome parecer tão parecido com… com… tá deixa… Só tenho um questionamento. Se Kurapika se pronuncia “Kurapaika”, ok. Senão já me incomoda. Apesar que uma criança fã de mangá perto de amigos que não são fãs falar algo sobre um tal de Kurapika… Bom, até que tem sentido…

Agora o que mais me assustou, foi tradução da famosa Genei Ryodan (pelo menos eu achava que se escrevia assim). Primeiro por que ela foi chamada aqui de Gen-Ei Ryodan. Nunca vi sendo escrito dessa forma e já me estranhou. Segundo por que pediu-se para se pronunciar Guen-Ei Ryo-dan. E Terceiro, pra me deixar mais confuso, a tradução sugerida foi Brigada da Ilusão. Bom, Brigada Fantasma (Ghost Brigade) como os americanos gritam nos foruns quando o famigerado grupo aparece sempre me pareceu mais cabível digamos. Até a historia me parece ter haver. Mas vamos ver, será que tanta gente ai anda errada?

Um fato curioso é que a Genei Ryodan não teve seu nome traduzido(ok, é Gen-ei Ryodan, mas vai demorar pra se acostumar) nas falas dos personagens, a tradução só ficou no rodapé. Não sei por que.

Avaliação da Historia e Desenho

Bom, eu poderia ser chamado de suspeito, mas acho que posso ser imparcial. A historia aqui é mais “parada” e para as criaturas que gostam combates sucessivos sem muita historia (alguém aqui gritou Bleach?!?) a historia pode ser frustrante… Alias, Hunter x Hunter é frustrante para qualquer um que espere pancadaria desnecessária. As coisas não são bem assim.

O desenho em si ainda não esta em sua qualidade máxima. O traço de Togashi adota uma personalidade que depois com outros volumes se perde. Não sei se por cansaço (ele trabalha sozinho), apesar de eu achar essa primeira linha de desenho muito mais “economica” e prática.

Kurapika (Kurapaika Phil, você não quer traumatizar as criancinhas…) e Leorio estão com seus rostos ainda em transformação. Leorio principalmente na primeira imagem esta horrivel… Vale lembrar que quem lê constantemente mangas essa “evolução” é normal. Pessoalmente acho muito divertido comparar, por exemplo, o Sanosuke Sagara do Samurai X na sua primeira imagem, depois da Saga do Shishio (É assim que se escreve?) e logo em seguida na ultima saga, a da Vingança dos Homens.

Resumindo…

Hunter x Hunter – Volume 1 é super recomendável para a galera que gosta de RPG. Cheio de referências e jogos mentais, existe até uma saga que – Vejam só – se passa em uma ilha dentro de uma espécie de Card Game (não pense em Yu Gi Oh por favor…). Se você gosta de ação ininterrupta pode se incomodar com HxH, mas os ultimos volumes estão até bem mais ação que aventura. Quem assistiu o anime pode sentir que existem partes “cortadas”, obviamente o anime aproveitou algumas brechas e as preencheu com mais drama. Eu não gosto do anime. Mas certas partes ficaram mais bem aproveitadas no anime no começo.

Se você quer comprar Hunter x Hunter – Volume 1 pela internet por que ai aonde você mora não chega ou demora muito é só comprar pelo submarino, clicando na imagem abaixo. Você ainda ajuda o Phil de quebra!