O Camilo do CamiloRPG traduziu uma matéria que lista formas comuns de um mestre criar e levar sua historia adiante. Como a galera que lê o Dados Limpos conta suas historias de acordo com a lista? Alguém faz a histórias de forma diferente?

Eu pessoalmente sigo o método “Caminhos para Roma”:

o Mestre bola uma cena clímax, um final, e improvisa durante o jogo os caminhos para chegar lá.

Gosto muito dessa forma de mestrar, apesar de em épocas de cansaço mental eu ficar muito sem criatividade. Nessas horas eu diminuo improviso e busco algo mais planejado.

Tudo que eu retenho do que leio e vejo para histórias é utilizado dentro dessa forma de encaminhar o jogo. Mas ha também uma série de personagens, temas e outros componentes do cenário que tenho o interesse de introduzir, e então agrego a partida. Notem que não são tantos componentes assim, senão deixaria de ser “Caminhos para Roma”, para uma historia realmente planejada com uma serie de improvisos normais que surgem na mesa…

Do resto confiram a matéria do Camilo:

http://camilorpg.wordpress.com/2008/02/20/tipos-de-aventura/