Depois não querem que eu reclame junto com outros blogueiros dos jornalistas. Depois somos nós que geramos conteúdo duvidoso. Olhem a pérola de desinformação (com os erros em negrito e comentários do Phil entre parenteses) que achei no portal de informação G1:

Em se tratando de mangás tupiniquins, a referência é “Holy avenger”, lançado em 1999 pela editora Talismã, que conseguiu o feito de permanecer quatro anos sendo publicado.

A série se passa num mundo típico dos jogos de RPG (definição extremamente discutível) e foi criada por Marcelo Cassaro, editor da revista “Dragão Brasil” (alguém além de mim não esta achando esse cara um pouquinho desatualizado?), e desenhada por Érika Awano. Foram 42 edições mensais e algumas especiais que chegaram a uma tiragem de 30 mil exemplares com picos de vendas ultrapassando 50% dessa quantidade – um sucesso editorial para os padrões recentes. Foi lançada ainda uma segunda temporada em quadrinhos, “Holy avenger reloaded”, que não durou mais do que dez edições (segunda temporada é o caralho… era só a reedição, não teve segunda temporada). Uma versão em animê chegou a ser planejada, mas o projeto não decolou (na realidade ela ta ai sendo feita, devagar mais está).

Será que o jornalista em questão (quer dizer, deve ter sido o estagiário, só pode) não teve a grandiosidade de nem ao menos ligar para os autores e se informar. Ligar pra editora atualmente responsável pelo menos?

Fonte: G1