“Dr Orima:

O jogo estava tenso. Todas as reservas do grupo estavam quase no fim, e o monstro não caia. Foi aí que aconteceu. Joguei meu d20 giant-size e 20! Crítico!

Fiquei tão feliz que joguei muito forte meu d20 giant-size, ele quicou, foi parar na boca do elfo-mago do outro lado da mesa, ele engasgou e morreu.

Ainda não tivemos coragem de contar para a família. Por enquanto estamos fingindo que é uma grande maratona de RPG, mas meus pais estão ficando preocupados com essas 2 semanas que a gente não sai da garagem. E o elfo tá começando a feder.

O que eu faço?

Ivã”

dice-20-sided.jpg

Olá a todos. Como sabem, sou Dr. Orima. Arauto do caos, cientista maluco e futuro presidente do universo infiltrado neste blog. No momento, me encontro no meio de uma perseguição envolvendo agentes do FBI, o presidente dos EUA e um pato de borracha, então não irei enrolar e irei direto ao ponto: Após o sucesso da primeira edição de minha coluna, recebi a pergunta acima, vinda diretamente do senhor Ivã, que escapou por muito pouco de ser mais um anônimo na multidão por falhas do intermediador Phil (Que por um acaso também é dono deste blog, caso vocês não saibam).

Desta vez vou ser direto: O que você fez não tem perdão! Sacrificar o mago do grupo apenas para matar um monstro aleatório (que nem mesmo foi citado no e-mail) é simplesmente estúpido! Você podia matar um monge, um bardo, ou até quem sabe um ranger. Mas não! Você foi e matou o mago. Justo o mago. Agora terão que se virar o resto da aventura sem magia e coisas do gênero.

Entendo se você argumentar que a magia é inútil, e você não quer nem saber do maldito elfo mago. Neste caso, você deve estar mais preocupado com o pedaço de carne em decomposição dentro de sua garagem, e por isso direi exatamente o que você deve fazer, em um passo-a-passo simples e eficaz:

1-) Arranque o dado assassino da garganta do elfo infeliz.

2-) Enrole todos seus materiais de RPG (Livros, posters, revistas e dados, além de quaisquer outros acessórios que possam te ligar ao hobby) em um lençol. Inclua o dado assassino neste lençol também.

3-) Queime esse material sem deixar vestigios.

4-) Realize uma seção de esclarecimento com todos seus amigos e parentes. Diga que o RPG que você jogava na verdade tinha a ver com redução de postura global, e que as partidas na verdade eram seus ensaios para o teste do grupo do teatro. Não importa se você realmente participava ou não de um clube de teatro.

5-) Chame a polícia e se entregue. Negue seu envolvimento com RPG com todas suas forças. No caso de forçarem você a confessar algo, afirme que você foi influenciado por alguma novela da rede globo.

Certo, você pode achar que não estou ajudando seu grupo, e para falar a verdade, não estou ajudando mesmo, afinal meu trabalho aqui é responder perguntas e não arranjar desculpas e esconder cadáveres. Sendo mais especifico, espero mais que você se exploda, sem querer ofender.

Portanto, seguindo o passo-a-passo, vocês nos livram de ter que ouvir mais uma rodada de programas de televisão dizendo coisas do tipo: “RPGs levam a morte” e similares.

Dr. Orima, com medo de dados grandes de 20 faces…

Quer usufluir de toda a sabedoria do Dr. Orima? mande um email para felipedesmelo@gmail.com com sua pergunta.

Anúncios