O RPGista… Quer dizer… O Alexandre, me convidou para um meme que é meio culpa minha. Enquanto ele comentava sobre as adversidades de se tornar um mestre contra a propria vontade  ele falou que se faz muita besteira até achar o tom. E assim surge um meme aonde cada blog pode contar um pouco de grandes cagadas que mestre ou os jogadores fizeram em campanha…

Vamos chamar essa história de O Massacre da Serra Elétrica Espada Mágica…

massacre-da-espada-vorpal.jpg

 Eu me divirto escrevendo nesse blog…

Era uma noite fria e chuvosa… Eu em uma campanha da clássica combinação 3D&T + Arton resolvi colocar como desafio para meus jogadores um Clérigo de Keen, Deus da Guerra. Coloquei boas estatísticas para o adversário, mas na hora H (como sempre…) eu penso em outras possibilidades e mudo algo, nesse caso a arma do clérigo que agora era Vorpal…

Eu que não gostava da idéia de tirar 1 e arrancar a cabeça de um jogador – principalmente em 3D&T, a chance de tirar 1 em 1d6 é maior – resolvi considerar uma arma vorpal algo que era tão afiado que cortava com facilidade membros, entre eles a cabeça. Após um resultado 1 em 1D6 eu escolhia aleatóriamente um membro em uma rolagem de 1d6 sendo 1 a cabeça. Acho que deu pra vocês entenderem o tamanho da merda que foi…

Tive assim uma campanha acabada após ver os personagens dos meus jogadores morrerem sem braços e pernas em combinações curiosas… No máximo, agora eles formavam um time paraolímpico. E as atrocidades não paravam por ali! Luigi Sortudo era um dos NPCs que acompanhavam os jogadores e bem… Ele terminou a campanha sem os DOIS BRAÇOS

Uma campanha terminada em um final digno de filmes de terror americano… O Massacre da Espada Mágica… Lógico que nunca mais boto nada vorpal em campanha…

Agora vem os novos convidados da vez:

– O Bruno Cobbi do D3System (que deve ter boas história pra contar…)

– O Edy Abreu do Urina de Dragão (não esqueci você Edy, viu? :D)

– O Rey Jr do Ooze (que tava de vadiagem e não de viadagem :D)

– O Toiço da Matilha (que como mestre também deve ter suas histórias…)

– O Eduardo Rolim do Toca do Elfo