O Antonio Sá do excelente Pop Dice (O dado é pop, o dado é pop, o dado não poupa ninguém…) começou um meme sobre entrevistas e dai fui entrevistado pelo Casal 10, donos do Taulukko e passei a bola agora pro grande Edy Abreu, dono do Urina de Dragão, blog dos antigos que fala sobre RPG.

Segue abaixo a entrevista desse cara super gente fina e bem humorado de MG…

/* Style Definitions */ table.MsoNormalTable {mso-style-name:”Tabela normal”; mso-tstyle-rowband-size:0; mso-tstyle-colband-size:0; mso-style-noshow:yes; mso-style-parent:””; mso-padding-alt:0cm 5.4pt 0cm 5.4pt; mso-para-margin:0cm; mso-para-margin-bottom:.0001pt; mso-pagination:widow-orphan; font-size:10.0pt; font-family:”Times New Roman”; mso-ansi-language:#0400; mso-fareast-language:#0400; mso-bidi-language:#0400;}

1 – Primeiro de tudo, se apresente Edy! Nome, Idade, profissão, aonde mora…

Tudo começou ha mais de 25 anos, quando eu era apenas um mancebo e tolo zigoto. Algum tempo passou e este zigoto passou a ser conhecido como Edy Abreu, que decidiu ser Designer Gráfico em Belo Horizonte, a cidade onde nasci, vivo e pretendo apodrecer.

2 – Você escreve em dois blogs atualmente. Urina de Dragão sobre RPG e o Urina Negra sobre Designer. De onde vem essa história de usar Urina no nome dos blogs?

(Phil, o correto é Design, designer é o Profissional)

Essa pergunta é bem engraçada, pois muita gente já me fez e eu não me canso de responder. Apesar de normalmente resumí-la, aqui vou tentar explicar melhor.

Eu quase enlouqueci quando conheci o Atari e sempre gostei muito de vários tipos de jogos eletrônicos e de tabuleiro desde moleque, onde inventava até atributos e história para cada peça de Xadrez. Economizei por uns 2 anos a mesada e o que recebia lavando carro, só para comprar meu primeiro videogame, um Mega Drive 3, mas a grana não deu. Meu pai então colaborou com os 30% faltantes e esse foi o presente de natal para mim, minha irmã e meu irmão, no ano de 94 se não me falha a memória. Eu devia ter uns 10 a 11 anos. Ligar aquele treco preto quase que por osmose e ouvir a trilha de abertura do Sonic mudou a minha vida!

Comecei a ler as famigeradas revistas de macetes para jogos com detonados e dicas,  queria escrever para estas revistas e fazer a arte e ilustrações para elas. Eu queria criar jogos!

Fazia pequenas animações nas abas das folhas dos cadernos e livros, desenhava com grafite, caneta esferográfica preta e azul, naquin, carvão, guache, pastel seco, tinta a óleo, cortava e colava, usava tijolo, cavucava na terra e nos muros, pegava toco de giz que professores jogavam no lixo e mijava desenhando e escrevendo.

Toda essa bagunça precisava ser organizada em um meio de comunicação livre, sem censura, não precisava ser politicamente correto e deveria ter o poder de atingir o mundo.

E fez-se a merda quando comecei a usar a internet, percebi seu poder de comunicação e vi que tudo isso junto fazia sentido, mesmo que só para mim. Era 2001, talvez… tinha acabado de entrar na faculdade MAIS CARA DO MUNDOOOOO!

Antes do Urina Negra houveram outros blogs, mas esse foi o primeiro que tinha desde seu conceito e nome, a união de toda essa história e de uma maneira que eu pudesse colocar as coisas que acho importantes para minha profissão de Designer Gráfico de forma mais conceitual e subjetiva.

O Urina de Dragão tinha que ser ainda mais livre, tratar de uma outra paixão de uma forma mais humorada, irônica, suja, livre, não convencional e de cara, ser identificado pelo mais temível poder de ataque de um Dragão: Um belo mijão na sua cara!

3 – Agora sobre RPG Edy, como você conheceu o RPG?

Cara, que loucura. Eu trabalho e me divirto muito tempo sentado, lendo, jogando, escrevendo, desenhando, pedalando… primeiro foi meu joelho direito que mesmo depois de 14 ortopedistas e uma ressonância magnética, nada foi detectado, depois então, a mão direita e coluna, tudo pro espaço. Ao todo, devo ter quase dois anos de fisioterapia e alguns diálogos do tipo “E ae Edy, o que tem feito? Ah, tô fazendo fisioterapia a um ano. Pô, largou o Design?”.

A Reeducação Postural Global me fez perceber que eu não deveria ter largado o kung fu, a bicicleta, a natação, o futebol e nem o volei. Hoje sou uma pessoa melhor, graças ao RPG!

4 – Você ainda joga RPG com frequência Edy? Qual sua frequencia (caso tenha)?

Tem um tempo que não jogo, talvez uns 8 meses, mas sempre releio os livros que tenho e sou viciado em criar personagens e fazer fichas!

Apesar de pouca gente perceber a semelhança entre RPG, teatro, cinema, animação e jogos eletrônicos, eu sempre estou neste meio e acabo me exercitando sempre.

5 – Logo no começo eram pouquíssimos blogs de RPG ativos. Lembro que um dos primeiros blogs que encontrei foi o seu em uma busca pelo wordpress. Era uma matéria sobre o software IRPG. Naquela época eu conheci você, a Matilha e posteriormente o Tsu do Contos de RPG, o Rey Jr do Ooze e depois o número de blogs só foi crescendo. O que você acredita que fez esse crescimento tão grande de blogs de um ano para outro? Uma tendência natural que demorou a afetar o nicho RPG e agora começou?

Hehehe, não sabia que eu tinha sido um pioneiro. Lembro que o primeiro bom blog de RPG que eu encontrei depois de fazer o meu foi um tal de Dados Limpos, depois teve esse outro que você citou, o Ooze.

Bem, não acredito em “tendências”, porque aquilo que parece ser uma tendência é na verdade uma boa solução de design para um problema específico que, de tão boa a solução, passa a ser copiada (tá, seremos sutis), passa a ser referencia e todo mundo que se acha publicitário, artista gráfico ou criativo usa sem saber porque usa. Porra, é claro que o cara sabe de onde veio, ele viu um dia e aquilo ficou na cabeça dele. A cada dia tem sido mais impossível criar algo sem que alguém já não tenha feito antes, mas este assunto é para uma outra pauta.

O fato é que bons materiais de RPG quase não existem e são caros, a maioria dos materiais são comuns demais, as editoras não inovam, não respeitam o público e colocam a venda coisas inacabadas e ruins fazendo-nos de bobos, acham que ainda estão na década de 80 do milênio passado. Todos nós estávamos reféns destes senhores de engenho, cansados de tomar chicotadas nas costas amarrados no tronco, dae vieram alguns baderneiros da senzala e criaram os primeiros Blogs de RPG. Uma reação natural, é a (re)evolução da espécie.

Somos NERDS, ligados a tecnologia, criativos e inovadores, demorou para chegar ao RPG, mas chegou. Acho que ficamos tempo demais aceitando conceitos de uma era passada.

Revoltai-vos NERDS malditos, criem blogs, podcasts, videocasts, uma grande e boa editora para o gênero, pois só aquele que se move é que chega a algum lugar!

6 – Você já falou um pouco sobre Pixel Art no Urina Negra, tinha até uma foto sua em pixels! Você aderiu ao pixel art? Se aderiu abandonou ou anda sem tempo? Aonde a galera pode ver algumas das suas criações?

Adoro Pixel Art, no meu primeiro computador, com ruindows 95, fazia desenhos no Paint Brush e animava em Flash 2 ou imprimia e fazia pequenos flip books!

A verdade é que eu sempre estou desenvolvendo muitas coisas ao mesmo tempo e o Pixel Art foi uma das coisas que fui trabalhando menos, mas eu realemnte adoro e quero fazer mais! Só pode ser referência do Atari.. só pode!

7 – Você tem algum projeto guardado na gaveta sobre RPG? Um mundo, um sistema…

Caramba, depois de ver como é complicado para iniciantes aprenderem RPG, em todos os aspectos e o puta preconceito de um monte de Troll (no mal sentido, claro) que tem por ae, estou sim, trabalhando em um projeto. É um cenário e estou gostando muito dele, mas meu perfeccionismo tem atrasado sua finalização. Mas a gente chega lá, afinal, só aquele que se move…

8 – Foi bem no seu estado que houve um dos maiores equivocos com relação ao RPG devido ao caso em Ouro Preto. Como foi aquela época para um jogador de RPG da sua região? Você teve na pele algum problema, ou em casa ou nos locais que jogava?

Minha família é em sua maioria, católica. O resto, também na maioria, possui suas crenças e são muito religiosos. Passei um certo perrenge, mas… tam tam taaaaaaaam!

Eu fiz o que quase ninguém fez: Continuei jogando. E fiz mais, saí da minha casa e fui jogar na casa de parentes, de amigos, na rua, conversava toda hora sobre o assunto em locais públicos, lutei contra minha timidez para provar, mostrar e ensinar que RPG é bacana e que possui vários benefícios sociais e psicológicos, que podem ajudar na educação e formação do caráter de uma pessoa.

Bati no meu peito e gritei que eu jogava, incitei a curiosidade das pessoas que depois me ajudaram a mostrar para outros que RPG é coisa do bem! Todo mundo jogava, filhos, pais, empresários, freiras… Mostrei livros e exibia com orgulho todo aquele material NERD que ficava sempre meio escondido no meu quarto.

9 – Você tem Dado D4 em casa Edy?

Tenho 2D4, 8D6, 4D8, nenhum D10 (uso os 2 do meu irmão), 2D12, 2D20 e meu irmão também tem vários.

Antes de comprar os dados, fiz os meus primeiros em papel. E você que pensava que Geometria era uma matéria inútil, seu tolo!

10 – Por fim, na ultima pergunta como sugestão do Antonio Sá. O que você acha do blog de seu entrevistador, o Dados Limpos?

Rá, vão pensar que você me pagou para responder essa, ou que temos um caso de amor secreto ou que você roubou minha Filacteria!

O Dados Limpos hoje é possivelmente o blog de RPG mais importante de todos, pois muita gente se conheceu ali e foi palco de um dos mais importantes movimentos do RPG contemporâneo: O Primeiro Encontro de Blogs de RPG.

Phil Souza comanda com maestria aquela excelente birosca e mostra que de perto, nós realmente não somos nada normais!

É leitura obrigatória e um grande incentivador para que eu continue escrevendo, mesmo sem o tempo e periodicidade que eu gostaria de investir no Urina Negra e Urina de Dragão (e os outros que tenho na manga).

Dados Limpos deve ser apreciado sem moderação!

Obs: O Edy já avisou que a proxima vítima da vez é o Rey Jr do Ooze