Entre Texugos e sindrome de caçadores de golfinho, mimimis e outras doenças, o RPG sobrevive no Brasil e lá fora (melhor falar “lá fora e aqui no Brasil”, ordem de grandeza sabe…). Mas pior que doença é o estranho fanatismo que o jogador desenvolve por seu sistema favorito.

Existiu um boato de que houve um movimento que tentaria tornar RPG uma religião. Melhor não. Por que não dou um dia para uma “reforma protestante” acontecer e para um lado iriam os D&Distas, para o outro os adoradores do santo Storytelling e por ai vai. Existe uma ligação tão pessoal entre o jogador e seu sistema de RPG que fica muito difícil para certos indivíduos olharem além daquele seu mundo.

Murilo é fã da White Wolf. Para ele Storytelling é a perfeição na terra…

Pior que crente de praça (eu vou apanhar depois dessa) eles tentam convencer a todos que o sistema/cenário deles é o melhor, que ele é perfeito, único, inacreditável. Em listas de discussão esses são os mais chatos. A proposta do sistema deles sempre será a melhor, não adianta questionar, argumentar. Perda de tempo garantida.

Cada sistema, cada proposta de jogo, atrai um tipo de jogador. Algumas são mais populares que outras, é verdade, mas cada RPG tem seu público que acolhe por n motivos. Infelizmente não são todos que conseguem perceber que ha uma diversidade de gostos diferentes e o seu gosto pessoal não necessáriamente é o melhor.

Didio é jogador de D&D 4E, o sistema (segundo ele) que é melhor que qualquer encarnação de D&D…

É claro, existem sistemas que possuem uma facilidade imensa para atrair texugos dos mais atrozes, mas não significa que jogar D&D (ops!) nos torne jogadores ruins, longe disso! O que falta é tolerância e bom senso para perceber que:

  • Seu sistema pode ter erros.
  • O sistema que você não gosta simplesmente por gosto não necessáriamente tem de ser ruim.
  • Se uma alteração foi feita no novo sistema ela não precisa ser necessáriamente a única que pode revolucionar/resolver o problema.
  • Não gostar do seu sistema não é xingar sua mãe. Estamos falando de um jogo.

Essa falta de bom senso acaba afastando pessoas da comunidade do RPG por que não aceitam comportamentos tão cabeça dura ou preconceituosos. Como já vi de gente que fala de jogadores de Defensores de Toquio ou de D&D, muitas das vezes sem ter noção do que está falando. Agressividade só demonstra falta de razão, algo muito carregado de gosto pessoal e por isso mesmo longe de ser realidade.

Infelizmente acho muito difícil a coisa mudar. Essa coisa de “O meu é maior que o seu”, de “não gosto disso então não presta” é comum no comportamento humano. Esse problema com o RPG e sua variedade é só a ponta do iceberg…

Então o que fazer? Ignorar. Deixar esse povo para trás e que Darwin faça o seu trabalho. Eu que não vou perder tempo em fórum, listas ou blogs para convencer xiiita que não gosta de Anime que D&T pode  proporcionar uma boa experiência de jogo. E ele pode.

Que elas fiquem com suas verdades absolutas. Eu humildemente prefiro jogar RPG.

Ps. Só me falta algum homem-bomba pela causa do sagrado GURPs se jogando contra a loja da Devir durante os próximos EIRPGs…

Anúncios