Diário de Campanha


Tire seu D&D da geladeira (a quanto tempo você não o mestra amigo?), adicione uma pitada da quarta edição para dar aquele sabor novo e um pouco de Tagmar 2 naquela velha receita agora com gostinho renovado! Amasse bem o saboroso Pathfinder junto com Conan D20 (cuidado para não exagerar…) e deixe em uma panela separada esquentando até ficar no ponto. Junte tudo e acrescente água misturada a um pouco de 3D&T Alpha (para dar aquele gostinho oriental) e ferva bem até o cheirinho da campanha nova amortecer o seu nariz!

Seria loucura misturar Pathfinder, Conan D20, D&D 4e, e 3D&T? Pode ser que não! No começo de uma nova campanha nada mais justo de agregar tudo aquilo que é bom e transformar tudo em uma mistureba generalizada de todas as coisas…

Mistureba Generalizada de Todas as Coisas (MGTC):

O motivo pelo qual não são universos é que qualquer universo em particular não chega exatamente a ser uma coisa, mas sim uma maneira de compreender o que é tecnicamente conhecido como MGTC, Mistureba Generalizada de Todas as Coisas. A Mistureba Generalizada de Todas as Coisas também não existe na prática — é apenas a soma total de todas as maneiras diferentes que haveria para compreendê-la, caso existisse uma. Douglas Adams, Praticamente Inofensiva.

Tagmar 2

Me interessei pelo projeto Tagmar 2 e quando conferi o cenário do jogo fiquei impressionado. Um mapa super detalhado (tem até download de uma versão em alta resolução dos mapas) e descrições detalhadas dos reinos e cidades importantes. Decidi dar uma chance para o cenário e eu recomendo que vocês também deem uma chance.

Conan D20

Eu simplesmente fiquei apaixonado pelo sistema de combate. Regras de bloqueio e esquiva, versatilidade em escolher lutar corpo a corpo usando força ou destreza, redução de dano nas armaduras e um monte de outras regras interessantes! Conan D20 não é só bom por ter referência ao nosso barbaro tão amado, seu sistema é singular e vale a pena conferir!

Pathfinder

Continuarei usando D&D 3.x. Pathfinder é uma evolução bem vinda, mas como está muito recente e não tenho seu livro básico ainda não a abracei por completo. Tenho muitas esperanças ao livro que já está na pré-venda vendendo horrores

D&D4e

Quarta edição de D&D da grandes lições de designer, não é toa que Pathfinder aproveita algumas lições de seu concorrente. Ele pode ter mudado demais, pode não agradar a todos, mas falar que D&D quarta edição é ruim seria no mínimo mentiroso.

3D&T Alpha

Fiquei impressionado como o Bruno BURP pegou o 3D&T Alpha e transformou no indie duelo musical 3D&T Rock Band. Mais ainda por não ter percebido o potencial de 3D&T para simular uma grande quantidade de situações. Ler 3D&T Rock Band me fez pensar que 3D&T pode ser usado em outros locais ajudando a simular certas situações de forma mais simples. E vou usar isso na minha campanha. Quando rolar  lógico que vou divulgar por aqui!

Minha campanha

Minha campanha é isso tudo! E antes que me chamem de maluco é claro que você pode pegar emprestado lições e boas idéias de outros sistemas, o que nos impede de fazer isso? Claro que sempre existirão aqueles que não gostam de mexer em nada, mas posso garantir eu não sou esse cara!

Na momento atual da minha campanha estou inserindo meus jogadores no mundo da pirataria (o primeiro que gritar “Windows XP com SP4 deiz real” toma uma porrada!). Li alguma coisa sobre piratas e encontrei verdades e mentiras sobre esses homens do mar que eu nem imaginava (bom, algumas eu já sabia sim…). Meu objetivo era dar um pouco de realidade ao encontro e não tornar a coisa um encontro clichê.

 

Alma Negra, o pirata dos piratas…

Pensando em o que seriam piratas em D&D comecei a meditar um pouco sobre como muita gente fica presa demais a livros e suplementos e deixa uma das qualidades principais de um mestre de lado que é a criatividade.

Na hora de criar ou adaptar muitos mestres se enrolam e levam tudo tão ao pé da letra que chegam a ser irritantes. Lendo as histórias originais Conan – O Cimério, ha momentos em que ele se encontra agindo como um ladrão. Ele entra em um palácio ou museu na calada da noite em busca de alguma coisa preciosa e acaba se envolvendo em um problema bem maior.

Isso significa que Conan obrigatóriamente tem de ter níveis de ladino?

Agora um pirata. Se eu sou um mago, sou capturado por um navio pirata,  ainda na prisão eu manipulo os tripulantes e sou bem sucedido em o motim me tornando o novo capitão do navio.

Não teria esse mago se tornado um pirata?

Nem tudo precisa ter uma mecânica, pode ser chato ou simplesmente desnecessário. Deixar que certas coisas possam ser conquistadas de outra forma senão através de pontos de experiência induz os jogadores a criarem mais histórias sozinhos, que sejam mais autosuficientes e saiam da barra da calça (ou saia) do mestre.

chaves.jpg

Isso, isso, isso… Será que vão descobrir o por que do título?

Não é necessário mergulhar em suplementos e mais suplementos para se usar piratas. O livro do jogador já basta. Meus piratas são em sua maioria guerreiros ou ladinos somente. E nada me impede de colocar druidas, rangers, monges…

Ninguém precisa seguir a descrição da classe 100%. Um personagem com 5 níveis de ladino pode ser um guerreiro que se usa de agilidade e de oportunismo contra seus adversário. Reparem, o “guerreiro” que comento aqui não é a classe, mas o conceito.

Que tal então um pirata que parece um ladino, mas bate como guerreiro? Principalmente quando aquele pirata que todo jogador cisma em achar que ladino te acerta com um belo ataque poderoso…

Eu sinceramente prefiro trabalhar com as classes básicas ao invés de encher meus NPCs de classes prestígio até por que grande maioria é muito específica (fora que sou um preguiçoso do caramba). Normalmente as classes prestígio seguem um conceito fechado e nem sempre cai no meu gosto pessoal. Diferente do que possam imaginar eu não gosto de tratar tudo que eu faço como uma equação matemática dividindo niveis, somando talentos e buscando o combo perfeito para a coisa…

Tome cuidado que nem sempre as coisas são o que parecem ser, use bom senso e jamais, em hipotese alguma, compre suco de vendedores de rua. Principalmente de tamarindo. Mais ainda se choveu no dia anterior…

Ouvi o Max certa vez comentar que gostou muito quando se encontrou com piratas em nossa desastrosa campanha anterior. Ele que é fã de Piratas do Caribe , jogava com um pirata que traiu seu capitão e por culpa do destino (leia mestre) reencontra-o dentro da loja de um alquimista gerando uma engraçadíssima cena que ficou não só gravada na mente dele, mas na minha também.

almanegra.jpg

Alma Negra… Vocês acham mesmo que eu perderia essa chance?

Não é a toa que na campanha atual coloquei piratas, eu nem lembrava, mas o estopim inicial foi esse encontro que me deu várias idéias. Comprei até um livro que fala sobre piratas – que acho que o Tsu disse que também estava lendo – Os Piratas mais Perversos da Historia, que ok, um titulo meio apelativo, mas acho que sobrevivo a ele…

pirataria.JPG

Atenção garotos. pirataria é crime…

Ali descobri varias coisas interessantes (e ainda não li tudo) que achei muito legal comentar aqui. Lá vai…

  • Não existiam somente Corsarios. Haviam piratas de verdade também.

Você pode olhar pra mim e falar: Pô Phil! todo mundo já sabia disso!

Noooot!

Já vi em algum programa da TV Aberta comentar que piratas eram, nada mais, nada menos, que homens escolhidos por seu país (normalmente França ou Inglaterra) para interceptar e então destruir ou roubar os navios do país “concorrente”. Resumindo Corsarios.

A realidade não é bem essa, houve sim homens que roubavam sem nenhuma ligação direta com paises. Haviam casos como um que li de um capitão que era Corsario e após ficar meses sem achar navios inimigos foi obrigado a se tornar um pirata e roubar navios de sua própria nação, tudo isso para que não sofresse um motim por parte de seus homens, sedentos por comida e dinheiro.

A tenue linha entre corsarios e piratas é visível. No final os dois faziam o mesmo, mas um com a benção de seu pais de origem, por isso mesmo ali eram tratados como grandes herois.

Vale citar um curioso caso de um corsario inglês que entrou na justiça para que alterassem uma parte (ou partes, não lembro agora) de um livro escrito contando suas aventuras no mar. Motivo? Ele foi citado como um pirata, motivo que o incomodou muito, mais que as historias sobre seus atos de crueldade…

  • Existiram piratas mulheres sim! E elas eram demais!

cutthroatisland.jpg

Quem lembra da Ilha da Garganta Cortada?

Não me venham pedir para lembrar de nomes. Mas elas existiram e possuem historias incríveis, eram mulheres corajosas que estavam além de sua época. Lembro que morri de rir rumor de que uma delas, na noite de nupcias expulsou seu marido do quarto e o “demitiu das suas funções de marido”. Demais :D

  • Vocês tem medo da bandeira pirata com a caveira?!? Tenha medo é da bandeira vermelha!

A bandeira com a caveira pirata tinha como seu objetivo zombar ou assustar os navios atacados, mais que isso, era um aviso para que se rendessem.

Mas a mais temida bandeira não era essa. A bandeira completamente vermelha era um sinal usado para simbolizar que o navio estava ali para matar todos os tripulantes. Fato que nem sempre era feito, mas só o efeito moral bastava.

  • Nunca houve um código entre os piratas de navios diferentes, mas alguns capitães estabeleciam regras dentro de seus navios.

Para manter a ordem algums piratas criavam leis para guiar sua tripulação. Grande maioria seguindo muito bem a idéia do olho no olho, dente por dente, e acreditem, o voto democrático para julgar criminosos era muito comum. Normalmente a pena mais dura consistia em deixa-lo só em uma ilha deserta com uma garrafa de água, um revolver e pólvora. Haviam variações, mas senão me engano era isso ai…

  • Nunca houve a famosa prancha. Só nos desenhos do Pica-Pau mesmo!

Nunca houve uma prancha para fazer os criminosos andarem e serem jogados aos tubarões. Em contos sobre piratas aparentemente a idéia foi criada e isso ficou na imaginação popular.

Depois ponho mais algumas coisas sobre nosso famigerados criminosos do mar…

doe sangue

O Edy Abreu do Urina de Dragão e do Urina Negra achou essa campanha super 10 de doação de sangue, que chama todos os RPGistas a participarem. Ela vai até dia 25 (domingo) e é uma forma de mostrar que os RPGistas podem ser unidos.

Uma das sugestões é o mestre oferecer pequenos premios, até experiencia para quem doar. Estou disposto a negociar com meus jogadores se ele quiserem marcar para esse Sábado por exemplo.

Não custa nada galera, no final todo mundo ganha.

Postei minha indignação quando a falta de bom senso em criticar o RPG sem nem ao menos o conhecer. Fiquei impressionado por que além de receber um apoio que eu nem imaginava, encontrei otimas definições do que é RPG e de sua importancia, em diversos blogs de amigos.

Os jogadores ou ex-jogadores mostraram ter conhecimento e calma na explicação do tema e contribuiram para o bom entendimento do que é RPG. Alias, todo jogador, todo blog de RPG, deveria ter uma sessão explicando sobre o tema. Nada de clube do bolinha ou da luluzinha, fechar o grupo só torna o tema mais incompreensível. Faço questão de posteriormente (talvez esse final de semana) de criar uma sessão e colocar a definição de cada um que colaborou, obviamente com os devidos créditos, links e o que for.

Ainda falta algumas pessoas que eu chamei participar. Eu prometi e vou chamar uns blogueiros de outras áreas para comentar, vejo se faço isso final de semana. Quero ver se aviso as comunidades do Orkut e no forum da redeRPG sobre o que fizemos, que foi pequeno, mas muito interessante. O Rocha mesmo, já verificou que os posts sobre RPG criados por nós já estão na frente do publicitáriono Google… A blogsfera RPGista existe e se movimenta, isso é muito bom!

Você já viu todas as definições? Todos os posts? Será? Vamos a quem colaborou até agora:

O RPG pode conduzir pessoas à Morte? (By Kajiya)

O RPG pode conduzir pessoas à Morte? (By ByM Happy)

O RPG pode conduzir pessoas à Morte? (Versão Urina de Dragão)

O RPG pode conduzir pessoas à Morte? (Cid)

O RPG pode conduzir pessoas à Morte? (Hydra-Chan)

Conscientização (Mon Pense)

Esse ultimo vem do blog da mãe da Carla (esse é apelido da Hydra-chan :D) , uma educadora, mãe e avó, seu post que linkei, senão me engano, foi anterior a meu chamado. É bom ver educadoras com uma visão aberta como essa.

Nota: O Fabio do WoDBrasil está traduzindo um texto de um religioso defendendo o RPG, que argumenta por meio de religião para defender. Vai ser otimo, por que nos da mais uma carta em defesa do nosso hobby. Valeu Fabio!

Próxima Página »