Dr. Orima


Caro Dr. Orima. Eu jogo RPG há algum tempo, e me divirto bastante com isso. Tenho um personagem legal, um ladrão de 18º nivel. Mas tenho um problema. Eu tenho o sentimento de que ele é um zé mané no mundo lotado de seres super-fodasticos que meu mestre criou. O que façou para me destacar? Como tornar meu ladrão uma lenda???

Anônimo

Leia o post e se torne uma lenda você também!

Olá a todos. Sei que vocês devem ter se esquecido de mim. Mas eu não guardo rancores, pois até mesmo eu tinha me esquecido de mim mesmo. É um dos maiores problemas de se ter multiplas personalidades. Mas não deixarei que vocês se esqueçam: Pois sou o único, inigualavel, onipotente, Dr. Orima! Mensageiro da improbabilidade, aquele capaz de ver aquilo que nem os deuses conhecem, senhor das galáxias distantes, grande nome do século XXIII, dentre outros títulos que guardarei para ocasiões adequadas.

Estou aqui, depois do período de recesso, para responder a dúvida de nosso querido jogador anônimo. Ele está com um problema grave, que aflije muitos jogadores de RPG (E não tem nada a ver com ejaculação precoce): Como fazer com que seu personagem consiga deixar sua marca em um mundo povoado com coisas extraordinárias? Como fazer com que ele seja uma lenda, no nível de personagens como Elminster, Mestre Arsenal, ou até mesmo o fantástico palhaço Bozo?

Algumas lendas nunca morrem…

Estou aqui para tentar jogar uma luz sobre o seu problema… Em primeiro lugar, analise o mundo no qual vocês estão jogando: Há coerência no nivel de poder dos personagens? Seu grupo de personagens anda apanhando de qualquer grupo de camponeses que aparecem por aí? Todos NPCs são autores de feitos heróicos fantásticos, enquanto os jogadores ficam olhando para o mestre com cara de paisagem? A taxa de mortalidade do grupo é de cinco personagens por seção de jogo (Sendo que o grupo é formado por quatro jogadores)? Se a resposta foi positiva, a solução é simples: É hora de depor o mestre atual. Tentem escolher alguém que não tenha histórico de psicopatia para ser o próximo mestre.

Mas caso a culpa não seja do mestre, então algo está errado com seu grupo de jogadores. Ou com você. O próximo passo é verificar se esse é o caso: Veja se você é o único cara apagado da mesa. Vejam se as pessoas não costumam falar do glorioso grupo de aventureiros épicos, e esquecem do ladrão furreca. Ou então, perceba se os outros jogadores não são cheios de mistérios, plots e aventuras, enquanto seu personagem é ignorado pelo Kobold da esquina. Neste caso, podem ser dois problemas: Seu mestre pode não gostar de você, ou seus amigos serem bem mais talentosos que você na arte da interpretação. No primeiro caso, a troca de mestre se aplica novamente. No segundo [Piada irônica]alguns assassinatos devem resolver tudo. Afinal, não há como não ser o melhor, se você for o único, certo?[/Piada irônica]

Antes de continuar, devo deixar bem claro: A tag piada irônica indica que a frase é irônica. Apenas um aviso para os idiotas que insistem em difamar o RPG, e podem achar, graças a uma falha no teste de percepção, que estou falando sério.

Caso isso não se aplique, chegamos ao terceiro caso: Não há problema nenhum. A situação normal. Neste caso, tudo depende de você! Interprete! Crie um background foda! Aproveite ao máximo suas habilidades! Faça feitos realmente épicos (Não aquelas besteiras todas de salvar o rei ou o mundo, isso qualquer aventureiro faz uma vez por semana). Elminster não seria ninguém se fosse controlado por um Player banana. Não seja um deles!

Dizem que ele também pedia conselhos ao Dr. Orima…

Agora, caso não dê certo, ande por aí gritando, com uma melância pendurada no pescoço. Você ficará conhecido pela eternidade, como parte da “Lenda do ladrão idiota que morreu gritando enquanto andava com uma melância pendurada no pescoço”.

Dr. Orima, aquele que mestra em mundos nos quais até os camponeses são de nível épico.

Possui alguma dúvida sobre RPG? Tem tido problemas em sua vida amorosa? Está cansado de tudo e quer conselhos? Mande um e-mail para sociophobia42@gmail.com e talvez Dr. Orima possa te ajudar…

Olá a todos. Provavelmente ninguém se lembra, então refrescarei a memória de todos. Sou Dr. Orima. Entidade onipotente, parte da resistência final de D&D 3,5 e jogador hardcore de nintendo DS.

Já disse uma vez em um post anterior, mas não custa nada repetir: Atualmente sou o correspondente oficial do Dados Limpos por mundos medievais. O que isso significa? Significa que não sou pago pelo Phil (Que fica usando a velha desculpa da inexistência de seu cheque do AdSense), e ainda tenho que coletar informações diversas sob os mais variados aspectos que são fundamentais em todos cenários de RPG que tem como pano de fundo a magia abundante, monstros estupidos, elfas gostosas entre outros clichês idiotas que somos forçados a aceitar.

Você pode achar que estou sendo picareta, já que já fazem uns três meses desde meu ultimo post. Mas acreditem: Estou dando o melhor de mim. Afinal, conseguem imaginar o trabalho que é encontrar um computador em um mundo medieval qualquer?

Bem, vamso deixar de lado as lamentações. Depois de ter realizado um estudo sobre os Dragões, chegou a vez dos famigerados Observadores, que também podem ser conhecidos como “Beholders”, “Eye-balls” ou “Monstro-Maldito-Que-Anula-Todas-Minhas-Magias-E-Me-Transforma-Em-Pedra”, dependendo muito do mundo ou região na qual você se encontra.

Bichos simpáticos.

Descrição

A Wikipedia (Fantástico tomo de informação, essencial para qualquer cientista maluco) descreve o Observador como uma orbe de carne com uma boca gigante, um unico olho central, e vários pequenos olhos ligados ao corpo, cada um contendo uma magia mortifera. Isso mostra definitivamente que a aparência de um Observador depende bastante de que está observando o bicho, já que observadores são simplemente almôndegas gigantes na qual enfiaram um monte de olhos de maneiras diversas. Questão de ponto de vista.

Habitat

Observadores não são seres extremamente sociáveis, o que me faz pensar que um curso de psiquiatria dedicada aos mesmo poderiam ser bastante viáveis (Talvez as tendências homícidas das criaturas atrapalhem um pouco… Mas ei! Estamos tentando resolver esse problema, não é mesmo?). Desta forma, no geral Observadores podem ser encontrados em florestas densas e outros locais isolados travando batalhas psicológicas e físicas contra outros de seus semelhantes. Ou em qualquer outro local rolado em um encontro aleatório proveniente da tabela de um mestre sacana.

Personalidade

Observadores são seres bastante curiosos: Se por um lado, acreditam que todos os seres de outras raças são simplesmente inferiores, por outro são extremamente anti-sociais entre si. A situação até chega a ser facilmente explicada: Você gostaria de se relacionar com almôndegas gigantes de carne? Assim sendo, Observadores passam seus dias travando guerras pessoas com outros membros de sua espécie e batendo em aventureiros desavisados nas horas vagas.

Reprodução

Imagine que todos os seres humanos sofressem de sociofobia extrema. Se isso acontecesse, em pouquissimo tempo (Relativamente), a raça iria desaparecer do planeta, afinal todos sabem que o sexo move o mundo. Devido a sua natureza anti-social, Observadores não fazem sexo (Ainda bem, evitamos a existência de hentais do gênero, e todos conseguimos manter nossas visões intactas por mais tempo). Isso porque a natureza também comete erros: Quando chegam em uma determinada idade, Observadores explodem e deixam como legado outros pequenos bebezinhos observadores para continuar com o histórico de anti-socialismo da família.

Conclusão

Complexo de superioridade? Confere. Raio anti-magia? Confere. Ferramente de roteiro de mestres sádicos? Confere. Aparência de cão chupando manga? Confere.

Conclusão, em letras garrafais: FIQUE LONGE.

Dr. Orima, que provavelmente entrará em outro recesso de três meses depois deste texto…

Dr. Orima, grande criador do caos, extremo mestre do universo, e jogador assíduo de Disgaea está de volta, depois de muito tempo ausente. Tenho uma justificativa (ou seria desculpa?) para meu sumiço. Nos ultimos meses, estive ocupado vasculhando alguns mundos de fantasia para realizar um pequeno estudo sobre alguns fatos, criaturas e outras idiotices que permeiam os cenários de RPGs medievais. Começarei apresentando minhas pesquisas sobre uma raça fascinante e conhecida por todos. Os dragões.

Imponentes, arrogantes… Porque as pessoas gostam deles?

Dragões são grandes e maus. Dragões possuem muitos, mas muitos pontos de vida. O suficiente para dar muito trabalho. E possuem uma baforada estúpida que pode fazer com que você perca os seus. Mas dragões também possuem pontos fracos. Eu ainda não descobri quais são eles, mas tenho certeza de que eles existem.

Descrição

Imagine uma lagartixa. Multiplique o tamahho dela por 1000, adicione algumas doses de radiação e pronto. Você tem o godzilla. Epa, algo errado nas minhas anotações. Mas não estamos tão longe assim da verdade. Para conseguir um dragão, basta alterar as paletas de cores, emagrecer o bicho um pouco, e adicionar um belo par de asas de morcego.

Habitat

Varia de mundo para mundo. Mas no geral, dragões possuem o péssimo hábito de se aninharem sobre um monte de tesouros escondidos em uma dungeon criada para aventureiros iniciantes. Pode parecer estranho que uma criatura tão inteligente viva em um local tão deprimente, pouco propício para socialização e alimentação, mas minhas pesquisas levam a crer que eles contratam velhos loucos para recrutar aventureiros que irão explorar as tais dungeons, gerando uma nova fonte de comida e tesouros.

Personalidade

Dragões são seres simpáticos e sociáveis. Sempre estão preocupados com todos a sua volta, e tentam praticar boas ações todos os dias. Sempre estão rezando, e procurando o bem de todas as pessoas. Ops, espere um pouco. Essa é a descrição de personalidade das freiras. Dragões são uns malas sem alça malvados mesmo. Fique longe.

Reprodução

Dragões são seres extremamente territoriais. Isso acaba fazendo com que eles adquiram algumas características anti-sociais. Por isso não há xaveco entre dragões, nem baladas ou coisas do gênero. O nascimento de novos dragões é algo que acontece muito raramente, quando ocorre alguma coincidência astral ou coisa do gênero. Qualquer informação que contradiza esta informação é pura especulação. Tanto é que nos dias de hoje, a raça já está extinta.

Conclusões

Evite dragões. Fique com os goblins e kobolds, o custo/beneficio é maior.

Dr. Orima, correspondente do Dados Limpos em mundos medievais genéricos

“Eu tenho uma pergunta!!! 

Como eu faço para criar uma bomba nuclear em Forgotten da 4º edição? Seria um ritual muito complicado? E depois de criada, como faço para detona-la???

CrazyChicken

bomba-nuclear1.jpg

Todos nós amamos saber que o download de Forgotten Realms 4E vazou. Agora olha só o que eles fizeram…

Olá a todos. Aqui estou mais uma vez. Dr. Orima. Diretor honorário das empresas ACME. Quinto cavaleiro do apocalipse. Cientista maluco, não mais de plantão. E blogueiro não profissional. Porque blogueiros profissionais são lendas neste país.

Estou aqui de volta mais uma vez, após um pequeno período de inatividade. Estive trabalhando em outros experimentos envolvendo as olimpiadas. Como por exemplo, uma tela azul durante a abertura, o impacto do roubo de uma vara no desempenho de uma atleta, e a transformação de um peixe em atleta americano. Nada que realmente interesse aos usuários deste fórum.

Bem, o usuário CrazyChicken me fez uma pergunta bastante inusitada (E que me faz entender o porque do crazy no nick dele). Como fazer uma bomba nuclear em Forgotten Realms, mais especificamente na quarta edição? O procedimento que vou ensinar a seguir, não serve apenas para Forgotten Realms, mas para qualquer mundo medieval. No entanto, devo avisa-los com antecedência: Crianças, não tentem isso em casa.

Primeiramente, este não é um ritual e muito menos uma magia. Alguns chamar o procedimento de “Macumba”. Logo, membros de qualquer classe ou raça podem realiza-lo. Os ingredientes são os seguintes:

–  666 fios de cabelos de mago. De longe, o ingrediente mais fácil de encontrar dessa lista. Se você for um mago, já estará na mão. Caso contrário é só surrar algum idiota de primeiro nível. Devo ressaltar que o número de fios de cabelo é importantíssimo e se não for respeitado, pode causar consequências terríveis.

– Um quilo de cérebro de barbaro.  É fato conhecido que você terá que matar muitos bárbaros para conseguir um quilo de cérebro, então este item pode ser um pouco dificil de ser cumprido.

– Um conjunto de escamas de Dragão. Pelo menos seis. Todas devem ser de cores diferentes. Quanto mais, melhor. Mas devo dizer que eu, Dr. Orima, sou contra a matança indiscriminada de seres tão indefesos.

– Uma dúzia de olhos centrais de observadores. Os olhos devem ser arrancados de preferência enquanto os bichos ainda estão vivos.

Algumas pessoas podem dizer: Isso não funciona no meu mundo! Meu mundo medieval não possui magos, bárbaros, dragões, e muito menos observadores! E eu respondo para essas pessoas: Vá jogar em algum mundo medieval de verdade e depois conversamos.

Pois bem, depois de juntar todos esses itens, coloque-os em uma sacola grande o suficiente para acomodar tudo. Em seguida, você deverá se dirigir à uma encruzilhada e dizer três vezes, em voz alta: “Bulngahuh”. Dessa forma, o demônio Bulngahuh, grande líder da dimensão das bombas nucleares irá notar seu esforço, e atender suas preces. Uma luz irá aparecer no céu, e uma bomba nuclear será lançada sobre sua cabeça. Você nem precisará se preocupar em detona-la, pois ela será detonada automaticamente.

Para finalizar, devo avisar que você vai ter todo esse trabalho, e no fim, não vai ganhar um único ponto de XP. E mesmo que ganhasse, provavelmente você não vai ficar vivo para aproveitar…

Dr. Orima – Responsável pela primeira guerra nuclear de Forgotten Realms.

Tem alguma dúvida, pergunta, ameaça ou sugestão para o Dr.? Pergunte para o Dr. orima no portal D&DBrasil.

 

logoddbrasil.gif

logoddbrasil.gif

O arauto do caos, mestre dos mil segredos de… Enfim, só o Orima consegue falar direito seus titulos… O personagem de Mario Kajiya, Dr. Orima, agora está recebendo e respondendo perguntas sobre a vida, o universo e tudo mais dentro do Fórum da Dungeons & Dragons Brasil.

Mas não! Ele não fugiu desse blog (não ainda…), suas respostas continuarão a sair aqui, mas agora o Cientista Louco vai aproveitar o público dentro do fórum para ter mais idéias para sua coluna.

Fica um convite a todos que gostaram da coluna de entrarem no Fórum e acompanharem a coluna do Dr. Orima. As melhores perguntas vão pra cá, mas muita coisa da sabedoria do famigerado Dr. poderá ser perdida, vocês querem ficar sem ela?

“Na teoria, a teoria e a prática são iguais. Na prática, não.”

Saudações. Sou o doutor Orima. Mestre do caos. Arauto do acaso. Senhor da guerra. Empregado do fantasma da ópera. Cientista maluco de plantão. Surgi inicialmente em um post de um blog idiota e mais tarde migrei para o Dados Limpos, onde respondia pergunta de leitores incautos.

Creio que vocês não me conheçam ainda. Por enquanto, essa ignorância é justificada. Mas creio que em breve, tudo mudará. Estou realizando uma série de experiências sociais. O objetivo? Dominar o mundo. Nada menos que isso.

Peço a colaboração de todos vocês. E sabem como fazer isso? É simples. Mandem perguntas para o e-mail “sociophobia42[at]gmail.com”. Como estamos em um portal de RPG, espero que a maioria das perguntas relacionadas ao tema.

Mas sintam-se livres para enviar quaisquer tipos de perguntas. Com sorte e um pouco de disponibilidade em meus planos, irei responder em futuras colunas eventuais dúvidas que chegarem em minha caixa de entrada.

Por enquanto, me despeço por aqui.

Dr. Orima – Fazendo o que faço todas as noites: Tentando dominar o mundo.

“Grande Dr. Orima, comtemple-me com sua sabedoria e esclareça minhas humildes dúvidas:

1) Meu grupo de RPG se separou graças a um super mestre, como eu posso reuni-lo de novo?

2) Como eu posso dominar o mundo?

3) Como eu posso me tornar um Deus?

4) Você já viu chaves?

Obrigado!

Espero pelas respostas para minhas duvidas!

P.S. que Chuck Norris te abençoe…

Texugomon

Olá a todos. Adivinhem quem está de volta? Não, não são os trapalhões. Sou eu, Dr. Orima!!! O grande mestre de RPG, arauto das mensagens do caos, e mentor do Capitão Nascimento. Estou aqui em mais uma sessão de perguntas. E desta vez o cidadão caprichou em quantidade (Nem tanto em qualidade). No lugar da pergunta usual, são quatro perguntas. E como vocês não podem viver sem mim, vou gastar alguns minutos do meu dia para responde-las.

1-) Você quer reunir seu grupo novamente? De verdade? Tenho péssimas notícias para você. Grupos de RPG que se separam tem a péssima tendência de nunca mais se reunir. É sério, digo isso por estatísticas próprias que venho coletando ao longo dos anos. É mais fácil criar um novo grupo, ou encontrar um já existente. Mas se você realmente quer jogar com os jogadores antigos, tente pagar para eles jogarem… As vezes funciona.

2-) Você quer dominar o mundo? Sou especialista nesse assunto e poderia ensina-lo como fazer isso… Mas prefiro não faze-lo. Sabe como é, prefiro menos concorrência.

3-) Você quer ser Deus? Vou lhe dar uma receita simples, retirada diretamente do meu “Manual do Cientista Maluco, edição 3,5” (Sim, esta versão do manual está desatualizada, mas não pretendo comprar a quarta edição tão cedo). A receita é a seguinte: Construa uma maquina que teleporte você para uma dimensão paralela, na qual não exista vida inteligente. Automaticamente você se torna Deus desse lugar.

4-) Você realmente acha que um cientista maluco cuja maior meta é dominar o mundo tem tempo para assistir Chaves? Se enganou redondamente. E ainda me ofendeu. Se você tivesse mais dúvidas, eu pararia de responde-lo aqui mesmo. Mas como suas dúvidas acabaram, paramos por aqui de qualquer jeito.

Por hoje é só. Continuarei com minhas andanças rumo a dominação mundial.

P.S. Não preciso das bençãos de Chuck Norris.

Dr. Orima, tentando descobrir o horário em que Chaves passa.

Alguma dúvida para mandar para o maior genio do universo? Mande um e-mail para felipedesmelo@gmail.com e talvez você seja respondido. Talvez…

“Após seguir fielmente os passos do Dr. Orima para arrumar uma presença feminina ao grupo, acabamos por descobrir que o mestre é facilmente manipulado pelo “excesso” de progesterona na mesa, o que tem influenciado para que em nossa campanha apareçam NPCs “com tendências ocultas”. Afinal, o que foi aquele gnomo vestido de rosa saltitante e feliz que dizia “Oi Miguxuuu” e bajulava a “mocinha do grupo”? Estamos desesperados pois agora tirar um 20/20 já não é regra válida pra poder matar essa maldita! O que devemos fazer pra acabar com isso? Por favor nos ajude, não aguentamos mais isso!!

sliipzinn”

Olá a todos. Após a pausa de três semanas na qual todos sentiram minha falta, estou de volta. Para aqueles que não sabem, sou Dr. Orima, quinto cavaleiro do apocalipse, e o único mestre de GURPS d20 conhecido na atualidade (Porque ninguém conseguiu decifrar aquelas tabelas de familiares ainda). Não vou dizer o porque estive ausente, até porque não é nada de real interesse público.

O jogador que me mandou a dúvida acima parece enfrentar um grande dilema. Depois de usufruir de meu conhecimento apresentado em um post anterior, o cidadão agora enfrenta um desafio que alguns jogadores acabam tendo que confrontar: Um mestre que decidiu jogar tudo para o alto e se revelar como uma flor.

Antes de começar a buscar soluções, quero deixar bem claro que jogar a culpa da súbita mudança que seu mestre sofreu na pobre jogadora recém adquirida é pura idiotice. Seu mestre já devia estar esperando por uma oportunidade de se mostrar como realmente é há muito tempo. Ele apenas não havia encontrado uma boa oportunidade para fazer isso.

Agora que já esclarecemos esse ponto crucial, vamos analizar os fatos: Não tenho nada contra esse tipo de mestre, mas concordo que essa situação deixa os jogadores em uma saia justa. Como dizer ao mestre que nem todos os NPCs precisam virar purpurina quando morrem? Como evitar ser paquerado pelo velho louco da taverna? E mais importante, como evitar virar a mesa e arremessar o livro do jogador na testa do mestre sorridente?

Seguem abaixo algumas alternativas para tentar voltar a normalidade:

1-) Não recomendo o uso de violencia. Não ia servir para muita coisa (sim, vocês teriam um certo alívio em relação ao estresse, mas esse alívio seria apenas momentaneo), e no final vocês teriam que encontrar outro mestre.

2-) Uma boa conversa talvez se mostre acertada. Com um pouco de esforço, talvez você consiga fazer com que seu mestre entenda que os jogadores não estão satisfeitos com o excesso de rosa choque demonstrado na campanha.

3-) Trocar de mestre também pode ser uma boa solução. Mas se você vai fazer isso, então vá logo para a opção 1 e divirta-se.

4-) A solução final seria dar para ele o excelente “Mulheres Machonas Armadas Até os Dentes”, um RPG clássico que atualmente possui uma versão d20, no qual os jogadores encarnam mulheres com um alto nível de testosterona. Sim, eu sei que isso não vai resolver de forma alguma seu problema… Mas parafraseando o antigo ditado, se não pode vence-los… Junte-se a eles!

Dr. Orima, que felizmente nunca jogou com um mestre que saiu do armário…

Você anda tão atormentado com dúvidas que surgem em sua mesa de jogo que não consegue fazer mais nada? Podemos ter a solução para seu problema! Mande um email para felipedesmelo@gmail.com com sua pergunta. E talvez você será atendido…

Próxima Página »