Fastfudge


Depois de séculos anunciando a adaptação de Hunter x Hunter, não achei que as pessoas ligavam muito pra isso. O fato é que FastFudge, meu sistema, ainda está em desenvolvimento.

Primeiro por que idéias assim não saem de uma hora pra outra. Segundo por que quando achei que seguiria um caminho, encontrei outro muito mais interessante. Resumindo, regredi bastante o projeto para tomar um rumo novo e mais interessante quanto as minhas espectativas para o sistema.

E como fica Hunter x Hunter? Fica com o BESM D20. Ai você me pergunta, como assim josé?!??! Pois bem, BESM D20 – ou Big Eyes, Small Mouth – é a melhor versão do sistema D20, esse voltado para animes. Sistemas assim são mais fáceis de usar e o mais divertido é o fato de como quase tudo nesse livro é OGL, posso distribuir as regras de graça sem me preocupar com candando me processando…

Não usei 3D&T por que mudou muito, gosto da época do manual vermelho. 4D&T é muito incompleto e ainda não sei o que posso usar ou não. Também não estou a fim de reinventar a roda, um sistema que visa adaptar animes normalmente já tem o que quero. BESM D20 tem.

O que me levou a tomar essa decisão é poder liberar logo minha idéia, vocês não tem noção de quantas pessoas me pedem atualmente a adaptação de Hunter x Hunter. Fiquei feliz, não sabia que havia tantas…

Por isso em breve Hunter x Hunter em BESM RPG deve sair. Vai dar trabalho, mas vai valer a pena.

Falei em meu texto reunindo locais que homenageiam Call of Cthulhu com humor de Cthulhu in Rio, uma proposta minha para um RPG de humor. Acredito no potencial do brasileiro pra esse gênero (o humor) por noções obvias, somos um povo que gosta desse tipo de atitude, irreverente, cômica, o humor bem ou mal aparece em tudo que fazemos.

Em paralelo andei pesquisando bastante o mundo dos sistemas em busca de algo que se encaixe nas minhas espectativas para o FastFudge, um sistema baseado no meta-sistema FUDGE e acho que finalmente achei o que queria. Minha idéia era inserir um modulo mais simples voltado para humor em Cthulhu in Rio.

No domingo fiz um playtest com meus jogadores do sistema e do cenário. Vale lembrar que eu estava gripado, com uma crise de tosse horrível e achando que minha garganta não iria aguentar. Mas não é que ficou divertido? FastFudge mudou muito depois dos meus ultimos posts. Buscando algo dentro daquilo que eu gostava e ainda gosto, como RPG criei um sistema orientado a pontos, contextualizados eles obrigam o jogador ao fazer ações descrever de acordo com o tipo de ponto que compra o que fez. No final quem vence é a criatividade e em um rpg de humor caiu como uma luva.

Não sei se é algo comum do meu grupo, mas todos se adaptaram muito bem ao gênero gerando piadas naturalmente de forma extraordinária. O sistema diga-se de passagem saiu como eu queria, mais simples que 3D&T, mas exigindo criatividade e não necessitando em nenhum momento colher regras em nenhum lugar para se compor o personagem fora o básico. Ele ainda está me lembrando um pouco demais Risus que caso não conheçam é um rpg de humor gratuito que tenho disponivel até na minha sessão de downloads.

A cena era simples, um avião e um grupo de jogadores ganhadores de uma promoção de um biscoito que lhes premiou para uma viagem para o Rio de Janeiro. Quem seriam eles? Um Pasteleiro Chinês (alberto); Um detetive paranoico com teorias de conspiração (Rafael); Uma mulher gostosona e extremamente burra (Phan); Um ex-policial que foi abandonado pela mulher e filha devido a excesso de trabalho – quantas vezes já não vimos isso?- e que agora pirou e anda pra lá e pra cá achando que é super heroi com roupas variadas por debaixo da roupa normal (marcio); E um veterinário virgem que vive dando cantadas toscas em todo mulher que passa em sua frente (sapo).

A história foi hilária, com direito de fanáticos religiosos tentando explodir o avião, cenas a lá matrix e por ai vai…

Resumindo? Gostei, ele ainda vai melhorar, a contagem de pontos ficou ainda confusa, mas agora com o playtest deu pra se ter noção de como consertar. Ah sim, e faltou a paida de quem o avião que meus jogadores pegavam era unm avião da Gol e uma outra serie de piadas sobre acidentes aéreos.

Aquardem amigos, cada vez mais vou novas coisas vão sair sobre Cthulhu in Rio…

Eu não abandonei meu sistema que vai ser feito com base no FUDGE. Mas criar um sistema do jeito que você quer, um sistema com personalidade, é necessário tempo. Fiz nesse final de semana com ajuda do meu jogador Max o primeiro Playtest pelo chat IRPG. Nem vou falar sobre ele por que o Edy e a Matilha já falaram sobre o mesmo…

O que eu gostei…

Fato que minha preocupação sobre o quanto “Fast” meu sistema ficaria foi saciada. Ele se saiu da forma identica ao que eu planejei. Como FUDGE é um sistema que utiliza uma classificação para atributos qualitativa, fica muito mais rápido resolver os problemas.

Péssimo, ruim, mediocre, mediano, bom, otimo e soberbo. Sobre essas classificações comparadas com a dificuldade da ação que segue os mesmos parâmetros, vejo que um jogador pulou um prédio, mas o desafio Bom para ele não foi alcançado com sua capacidade para tal que é mediana, por exemplo…

As historias são mais dinâmicas, não ha quase nenhuma parada para testes e quase tudo é um acordo mestre-jogador, sempre sobre regras, mas regras que te dão mais liberdade. Mais flexibilidade para o mestre criar suas historias, toca-las e idem para o jogador… Eu vi tudo isso nesse primeiro playtest, que só teve uma rolagem e isso por que foi um combate…

Problemas…

No combate percebi que não pensei em certos aspectos. Um personagem com a perícia Katana Bom causa um Dano Bom também com sua Katana. De acordo com minhas concepções, aumentar o diminuir esse padrão de dano depende da situação criada entre os jogadores. Até ai tudo bem. Mas o problema esbarrou na hora das jogadas defensivas…

Universalmente FastFudge vai ter dois tipos de defesa. Esquiva e Bloqueio. As duas independem da arma sendo um espécie de caracteristica de combate universal. Diferenças? Se você se esquivar você não toma dano algum, mas falhar significa receber na integra todo o dano. No Bloqueio, você nunca absorve tudo, mas você pode sempre reduzir um pouco do estrago causado…

O problema ficou na rolagem disputada. 2D6 + nível de ataque contra 2D6 mais nível de defesa. Na esquiva não ha problemas. Se você esquiva ok, senão recebeu o dano. Mas no bloqueio a absorção e dano estrapolam os niveis iniciais estabelecidos. Como?

Alguém que use Facas Mediocre contra uma Bloqueio Mediano. O teste seria o Atacante com 2D6+3 contra uma defesa de 2D6+4. Se o primeiro tirar 10 e o segundo tirar 6 serão 4 de dano direto. Um dano Mediano… Mas a habilidade com a faca não era Mediocre? (+3)

São detalhes bobos que vão ser acertados, mas nem estou pensando nisso. As minhas provas estão ai. Mas no que já testei fiquei já bem contente…

Tanta coisa né? O Phil (eu porra…) anda meio cansado, assumiu de manhã um serviço que o obriga a pegar 3 onibus e em épocas de chuva (como esta atual) um engarrafamento fenomenal obriga-o a sair mais cedo do que já saia de casa…

Ok, sem reclamações, vamos ao que interessa…

Estou pensando em um post sobre Revistas Online de RPG. Já fiz parte de uma, caso não saibam. E foi vendo a revista Beholder Cego que descobri que 3D&T se tornou aberto, liberado para que qualquer publique coisas sobre ele.

Cassaro para o bem dos fãs (e pra sacanear a antiga editora) liberou seus direitos. Ainda estou meio confuso em até que nível houve essa liberação, eu já sabia dela antes, mas busquei saber quais seriam os parâmetros, as limitações dessa liberação. Depois, acho que vou perguntar pro Tarmann, quem sabe ele não esta mais a parte que eu. Tenho muitas coisas em 3D&T, até Hunter x Hunter.

D&D 4° Edição está ai, e ainda nem me pronunciei direito sobre ele. Mesmo jogando a versão 3.5, muitos já perceberam que o blog Dados Limpos nunca teve por foco dar dicas de combos ou coisas do tipo… Quanto a esse lançamento do novo D&D, meus jogadores já concordaram que gastamos dinheiro demais com livros de 3.5 para irmos para outro sistema. Mais que isso, as novas regras e ambientes desse novo D&D estão desanimando a todos. Ou alguém deixou de escutar seus consumidores ou a Wizard está lançando suas ideias e de acordo com o recepção e opinião do público se aprimorando…

Fast Fudge não se perdeu, minhas ideias foram exaustivamente discutidas com bruno, aquele que me presentou o metasistema fudge e fez a nova diagramação da versão traduzida do mesmo. Vou começar uma fase de testes com meus jogadores, quero que eles vejam, reprovem, aprovem, vamos ver o que vai dar…

Hunter x Hunter continua um máximo, já no capitulo 263 indo para o 264 (o raw deve ficar disponível por volta de sexta ou sábado…) e a nexgear continua arrebentando. No 263 o tal amigo do Netero aparece e apesar das apostas de todos os fãs no aparecimento de Ging (jamais, em hipotese alguma, chame o pai do Gon de “Jin” no forum da nexgear cowboy!) ou obviamente Kuroro Lucifer, que disparando o mais carismático personagem da série… Não foi nenhum dos dois. O carinha é o Zeno, avô do killua…

Bom, Togashi anda bem, afinal foi primeiro lugar de vendas no Japão com seu volume 24, nada mal não? (ok, estou cansado demais para piadas…)

Enquanto cuido meu serviço, hora ou outra paro para escrever meu Netbook sobre a adaptação de Hunter x Hunter para RPG. Como é sexta e desde quarta começam a correr spoilers e imagens do capitulo me deparei com varia surpresas no capitulo 263…

Mas o mais divertido foi um japonês que descobriu o fórum Nexgear, ele nem ao menos imaginava que havia tanta gente de fora lendo o mangá. Mas os comentários dele (em um inglês bem fraquinho ) sobre a situação atual de Hunter x Hunter após exatamente 1 ano e 8 meses sem lançar no japão é essa:

“Of course I read a HUNTER a week. Togashi wakes from a sleep of 1 year 8 months, and many hunters maniac dances madly with joy.”

“Japan is late-night 3:00 now, but the argument about the hunter hunter is active.
Several quarrels about strength of KURORO and ZENO.

hunter hunter has a lot of enthusiastic fans.
There are more them than NARUTO and ONE PIECE.

Good night.
I will return here in ten hours”

É engraçado como no Brasil Hunter x Hunter não é conhecido como merecidamente deveria ser… Mas só por ver os comentários do meu amigo japonês já posso acreditar que eu não seja tão maluco assim por gostar desse mangá…

Próxima Página »