Um domingo desses eu estava voltando para casa, após um dia intenso de RPG, estava eu no ônibus, num desses momentos em que seu pensamento se eleva ao RPG e pensando em todas as músicas phodasticas que eu poderia ter tocado, e todas os talentos incríveis que poderia ter usado, e naquelas magias ruladoras que poderia ter conjurado… De repente me veio na cabeça um pensamento peculiar,

SE EU FOSSE REALMENTE TOCAR MINHAS MÚSICAS DE BARDO, QUE MÚSICAS SERIAM?

Então foi quando comecei a rir sozinha no ônibus, pensando no que tocaria, por exemplo:

Inspirar Heroísmo :

Um bardo de 15° nível ou superior, com 18 graduações em Atuação, é capaz de usar sua música ou poesia para inspirar um enorme heroísmo sobre si mesmo ou um único aliado num raio de 9 m, permitindo que a criatura lute bravamente até mesmo um inimigo superior. Uma criatura inspirada recebe +4 de bônus de moral nos testes de resistência e +4 de bônus de esquiva na CA.


Ou então essa:

Melodia da Libertação :

Um bardo de 12° nível ou superior, com 15 graduações em Atuação, é capaz de usar sua música ou poesia para criar um efeito similar à magia cancelar encantamento (nível do conjurador equivalente ao nível de bardo). Ativar essa habilidade exige 1 minuto de concentração ininterrupta e música. Ela afeta um único alvo num raio de 9 m do bardo. Um bardo é incapaz de usar essa habilidade sobre si mesmo. (pq afinal de contas ele já está liberto, veja só :)



Inspirar Competência :

Um bardo de 3° nível ou superior, com 6 graduações em Atuação, é capaz de usar sua música ou poesia para auxiliar um aliado a obter sucesso em uma tarefa. O personagem também precisa enxergar a criatura. Dependendo da tarefa que será realizada, o bardo conseguirá utilizar sua música para elevar o espírito do personagem, concentrando-o ou auxiliando-o de outra maneira. O aliado recebe +2 de bônus de competência nos testes de uma única perícia enquantoouvir a música inspiradora.



Inspirar Grandeza :

Um bardo de 9° nível ou superior, com 12 graduações em Atuação, é capaz de usar sua música ou poesia para inspirar grandeza sobre si mesmo ou um único aliado num raio de 9 m, aprimorando sua capacidade de combate. Uma criatura sob os efeitos de inspirar grandeza adquire 2 Dados de Vida adicionais (d10) e os pontos de vida temporários proporcionais (aplique o modificador de Constituição da criatura, se houver, aos DV), +2 de bônus de competência nas jogadas de ataque e +1 de bônus de competência nos testes de resistência de Fortitude.  (ou seja, o sujeito vira o pica das galáxias!)



Fascinar :

Um bardo com 3 graduações em Atuação é capaz de usar sua música ou poesia para fascinar uma ou mais criaturas. Cada criatura que será afetada deve estar num raio de 27 m e ser capaz de enxergar, ouvir e prestar atenção ao bardo. (e se o bardo for do sexo feminino ou um travesti que engane bem e estiver de mini saia ajuda) Para ativar essa habilidade, um bardo realiza um teste de Atuação. O resultado do teste será a CD do teste de resistência de Vontade para cada vítima. (se for Homem é quase certo falhar) Se fracassar, a criatura sentará tranquilamente (ou ficará babando) e ouvirá a música do bardo enquanto ele continuar tocando e concentrado (e dançando de preferência). Enquanto estiver fascinada, a vitima sofre -4 de penalidade em qualquer teste de Ouvir e Observar realizado como ato reflexo.



E para fechar, a mais clássica de todas as músicas de bardo !!!

Inspirar Coragem :

Um bardo com 3 graduações em Atuação é capaz de usar sua música ou poesia para inspirar coragem em seus aliados (incluindo o próprio bardo), amparando-os contra o medo e aprimorando suas habilidades de combate. Para ser afetado, o aliado precisa ouvir o bardo cantar. Os aliados afetados recebem +1 de bônus de moral nos testes de resistência contra efeitos de Encantamento e medo e +1 de bônus de moral nas jogadas de ataque e dano com armas.


Espero te tenham gostado da minha seleção, pq pretendo brincar com algumas classes de prestígio de bardo, rsrsrs

Kissus

O blog muda junto com o autor. A menos que seja um blog com uma linha extremamente rígida, o que nunca foi o caso do Dados Limpos. Hoje temos autor com bem mais maturidade para falar sobre RPG e todo esse fascinante mundo que o envolve. Ah sim, bem menos erros de português, muitas e muitas revisões e o texto justificado. Alinhado a esquerda era horrível, como a gente evolui…

Hoje tenho muito mais preocupações, colaboro também com o portal Ambrosia escrevendo sobre RPG e boa parte das notícias relacionadas a Anime/Manga ultimamente são minhas também. Escrever para um portal exige velocidade e boas fontes. Outro fator importante é como se escreve a notícia, escrever de forma pessoal é uma faca de dois gumes, alguém antipático ou de idéias polêmicas afasta alguns, mas também consegue fieis seguidores. Existem também as informações exclusivas, entrevistas, o entretenimento extra como tiras e outras coisinhas engraçadas….

Mas enfim, já sai do roteiro, o Dados Limpos não é um portal. Escrevo de forma pessoal, sem tanta pressa. Raramente repasso notícias gringas a menos que muito me interessem. O bom de tudo isso é que aos poucos o Dados Limpos se descobriu como um blog de humor para jogadores de RPG. Piadinhas, colunas engraçadas, apelidos divertidos para estereótipos comuns em mesas de RPG, tudo original, diga-se de passagem.

Hoje tenho uma visão mais bem definida do que escrever por aqui, já sei organizar as coisas de forma correta, posso colocar os “pingos nos is” sem medo de ser feliz. Tenho uma categoria para assuntos pessoais assim como categorias para cada sessão divertida que faço sempre com muito prazer. Nada disso vai acabar.

O novo visual do blog segue essa tendência em mudar. Se você me acompanha via rss entra no blog para conferir, busquei um visual mais limpo com uma fonte que me agrada muito mais que a anterior. Ainda faltam alguns detalhes, mas vou corrigi-los aos poucos. Diminui sensivelmente o número de propagandas, banners e tudo mais, estranhamente eu estava incomodado com tudo aquilo, mais um sinal de mudança.

E é isso, espero que estejam gostando das mudanças e aceito sugestões quanto ao visual. O Dados Limpos mudou, agora seu escritor é um “papai” e os Dados Limpos além de limpos são  agora  obrigatoriamente esterilizados. Sabe como é, nos primeiros meses de vida se deve ter muito cuidado com bebês :D

Obs.: Agora que percebi que os paragrafos desse tema não pulam linhas direito, hora de mais uma edição…

Até aonde vale a pena criar um sistema novo, totalmente do zero, para se adaptar as necessidades do seu jogo?

Hoje, mais que nunca, entendo a revolução que foi o sistema aberto d20. Criar um sistema próprio não é como trocar de roupa, pode dar muito trabalho quando as idéia não chegam de imediato.

Por que eu criaria um sistema próprio para meu jogo?

Por que o nível de personalização é maior e assim a chance (se o sistema for bem pensado) do usuário ficar frustrado é bem menor. A experiência se torna única dando um gostinho diferente para o seu jogo.

Por que é divertido também serve? :D

Por que você usaria um sistema pronto e aberto (que pode ser usado livremente, como o sistema d20, por exemplo)?

Por que dá muito menos trabalho alterar algo pronto. Você só corre o risco de não conseguir o mesmo resultado que em um sistema novo criado por você para seu jogo, além de conseguir algumas caretas de gente que não gosta de sua escolha para sistema aberto. Mas você também aproveita os fãs do sistema aberto que você escolheu, essa comunidade ficará curiosa para saber como funciona o sistema.

O tempo que você tem para se dedicar ao projeto é uma variável importante. Se a idéia é muito boa e eu não tenho tempo para pensar no sistema talvez um sistema aberto seja novamente a melhor opção. Claro que a situação pode se inverter, minha adaptação do sistema aberto pode demorar mais que se eu criasse um sistema do zero, não é a toa que escolher a opção que mais se encaixe com essa idéia  me parece muito, muito importante.

Vocês devem estar percebendo que estou incentivando demais a escolha de uma solução pronta. Não é a toa. Perdi muito tempo e encalhei meus projetos (Cthulhu in Rio por exemplo) por que busquei criar um sistema próprio para meus jogos e no final não sai nada. E não pela falta de idéia, o Phil aqui quando cria algo é tão chato que parece mulher na hora de escolher o vestido, vai entender…

No momento vou pegar coisas já prontas e adaptar as minhas necessidades. Parece-me muito mais interessante já que tenho tantas idéias e nenhuma delas saiu do papel por causa exatamente desse problema. Creio que todo jogador de RPG pensa em criar seu próprio sistema e se você assim como eu, está encalhado, não cometa esse pecado de travar sua idéia. Pegue um sistema já pronto e aberto. Pense nisso.

Eu não sabia até ter entrado de férias que era tão viciado em internet. O limite entre algo doentio e um habito saudável pode se tornar pequeno e você nem perceber. Quando se mora com os pais existe as vezes um consentimento dos mesmos em que você fique horas no computador (como no meu caso), é a tal da privacidade que pentelhamos eles o tempo todo para ter ou simplesmente é a necessidade que nossos pais sentem de fazer algo sozinhos, enquanto seus filhos fazem alguma atividade que os deixem em paz. Mas ai é que as vezes mora o problema…

Confesso que eu era menos grudado com o computador, mas depois que comecei a blogar me tornei um viciado em informação. Perco tempo além do necessário lendo coisas que nem sempre são úteis e deixar de fazer coisas importantes na sua vida por causa de um computador (ou qualquer coisa) é um bom sinal de que sua relação com essa atividade não está muito saudável…

De certa forma é até aceitável perceber que todo nerd possui uma relação bem compulsiva com alguma atividade como video game, internet, miniaturas, rpg… Enfim, gostamos dessas coisas e as vezes falta um limite da nossa parte.

Meu casamento e meu filho são o que está me salvando. Eu tenho uma teoria de que nossos pais nos dão a base para o que somos, mas muitas manias e hábitos adquiridos depois não são eles que vão mudar. Mesmo você tendo 15 anos e dependente deles, vão ter coisas que eles não vão gostar e você não vai mudar. Depois de um tempo os pais perdem certos poderes sobre seus filhos, vejo isso acontecer bastante e ai o que nos salva somos nós mesmos…

Quando entrei de férias ouvi reclamações constantes da minha esposa sobre eu ficar tempo demais no computador. “Eu estava de férias, por que eu deveria estar de frente para aquilo?” . Eu sei caro amigo, se você tem a ligeira impressão que dorme com os teclados nas mãos de tanto que fica na frente do PC você se incomodaria muito com esse questionamento, eu mesmo me incomodei… Mas… Não é que minha esposa estava certa?

Comecei a perceber que quase todo tempo que eu perdia ali era para checar emails que eu sabia que já estavam lidos, reler coisas, buscar coisas irrelevantes… Se eu estivesse programando ou estudando para uma prova importante tudo bem, mas não era esse o caso. Percebi nas minhas férias que eu estava perdendo muito tempo útil por nada. Nem diversão, era o simples costume de sempre fazer aquilo!

E por que estou falando disso? Ué, até aonde o RPG também não se encaixaria em um habito nerd  com potenciais chances de sermos viciados? Já ouvi cada barbaridade de jogadores que deixaram de fazer muita coisa para jogar RPG. Concordo, se você gosta muito de jogar RPG é de se esperar que você jogue  bastante, mas… Até aonde vai o seu limite? Você deixaria de fazer suas obrigações para jogar? Você fica ansioso quando não consegue jogar RPG?

É bom começarmos a perceber que é muito bom fazer outras coisas, eu não deixei de jogar RPG por que me casei, por que meu filho nasceu. Diminuiu um pouco mais a frequência, mas não ha como prolongar a adolescência, um período aonde eu tinha bem menos coisas para fazer. Muitos nerds gostariam de ser eternos adolescentes e passar a vida toda jogando RPG. Confesso a vocês, sou imensamente tentado a pensar dessa forma. Mas é melhor não.

Não estou chamando ninguém aqui de viciado, não sou eu que vou dizer isso, é você mesmo. Mas achei importante expor o que descobri sobre mim, sobre minha compulsividade. Prefiro que seja eu quem fala, alguém que joga RPG, que está sempre na internet. Nossos pais mesmo constantemente falando, talvez não chamem tanto nossa atenção, a grande verdade é que, querendo ou não, algumas vezes eles estão certos.

Não ha dúvidas que o titulo desse post é pra lá de questionável. Mas não é incomum na cabeça de muitos do meio do rpg (ok, não é só nesse meio não…) achar que o titulo é uma grande verdade. Dentro da opinião pessoal de cada um, sempre haverá seu sistema perfeito (assim como seu time de futebol, cor e religião) que obviamente não será a opinião do próximo, apesar de muitos insistirem em forçar suas opiniões.

Fato que enquanto muitos já encontraram seu graal, outros ainda estão a procura do seu sistema perfeito (como eu), mais ainda, outros criaram seu sistema perfeito.

Eu também me encontro nessa busca, ainda pensando em meu FastFudge ao mesmo tempo que busco outra coisa além de masmorras e dragões que sempre gostei de falar mal, apesar de até hoje continuar jogando essa budega.

Vejo que o problema maior não é criar o sistema e sim escreve-lo. Parece estranho, mas passar para o papel toda aquela explicação me da uma preguiça colossal, por um motivo até que engraçado. Eu sei que vou ser bem cuidadoso com o que escrevo, sempre fui assim e sabendo desse trabalho fico cansado antecipadamente. Vai entender…

Mas de certa forma algo bom ganho com isso. Hoje sei muito mais de sistemas de RPG que imaginaria, li  inúmeros artigos do The Forge e já tenho uns dois RPGs hippies… digo, indies para escrever. Mais que isso , ganhei uma bagagem divertida que espero compartilhar com vocês em posts AAD (aleatórios e altamente descontinuados) falando da história de muitos sistemas famosos e linkando posts relevantes de outros amigos criadores que existem por esse vasto mundo eletrônico.

Vamos ver até aonde vai essa louca busca por um sistema. A cada dia encontro algo novo e divertido. E você, já achou seu sistema perfeito?

Essa é para quem não gosta de D&D4E…

Me respondam rápido! Por que esse power é tão ironicamente engraçado?

Apesar de uma certa demora para um evento que já está em cima do lance, finalmente o evento RPGcon possui um site atualiazado e um twitter para os twitteiros de plantão! Pelo que li e conversei com alguns dos organizadores está tudo super organizado e a tendência é que o evento venha a nos surpreender demais!!!

Segue abaixo o que foi dito pela galera do D3system sobre o evento:

Data e Local

Ingressos

Ingressos Promocionais para Caravanas e Associações

Para auxiliar a organização das caravanas e incentivar a participação dos grupos e associações, a RPGCON oferece os seguintes pacotes de ingressos antecipados. Para adquiri-los, entre em contato com d3@rpgcon.com.br ou wallace@rpgcon.com.br, até 26/06/2009.

De 10 a 19 R$ 8 por dia por pessoa + 1 ingresso para o organizador
De 20 a 39 R$ 8 por dia por pessoa + 2 ingressos para os organizadores
De 40 a 49 R$ 8 por dia por pessoa + 4 ingressos para os organizadores
Acima de 50 R$ 8 por dia por pessoa + 6 ingressos para os organizadores

Áreas de Jogo e Inscrições

O pavilhão de jogos (Amarelo) será dividido em quatro setores para facilitar o acesso dos jogadores e mestres.

Cada setor (Fantasia, Horror, Moderno/Sci-Fi e Outros) terá uma coordenação separada. Dessa forma, os jogadores poderão escolher com mais facilidade entre as aventuras disponíveis e evitaremos as antigas (e odiadas) filas.

Para os mestres que precisam de um espaço diferenciado, o evento oferece o Hangar 18 (uma corruptela da Área 51) no pavilhão Cinza, onde serão realizadas mesas especiais como o Torneio Tentacular, as baterias do Desafio D&D 4ª Edição, entre outros.

Para essas duas áreas, as inscrições devem ser realizadas antecipadamente no site. Uma das novidades é que somente OS MESTRES precisam realizar esse processo. Os jogadores não precisam da pré-inscrição — basta se apresentar ao coordenador do setor, escolher sua aventura, sentar e jogar.

Jogo Organizado

No mesmo pavilhão (Cinza), um espaço será destinado ao jogo organizado dos principais sistemas — D&D com a RPGA, Mundo das Trevas com The Camarilla, Shadowrun com os Commandos, etc. Mais detalhes sobre essas áreas serão divulgadas na programação do evento.

Miniaturas e Cardgames

Além do espaço tradicional para os campeonatos de cards (Magic, Pokemon, Vampire e L5R) e miniaturas, o evento oferece um setor específico para trocas e jogos casuais. Traga seu deck, bando ou coleção e venha encontrar outros colecionadores, pro-players ou participar dos torneios principais e relâmpago.

Outras Atrações Confirmadas

  • Feira de RPG Independente – Um espaço reservado para os criadores de RPG e jogos trocarem idéias, expor seus sistemas e cenários, firmar parcerias e divulgar suas criações. Corrdenação da Surreal.
  • OPELF – Um ciclo de palestras, oficinas e workshops sobre literatura fantástica, contos e ficção. Coordenação da Céos.
  • Salas das Associações – Um setor inteiro de salas para as associações mostrarem seus trabalhos, oferecer atividades, criar laços com grupos similares e angariar novos membros.
  • Feira de JogosDuas salas de 40 m2 para abrigar uma das atrações mais visitadas de qualquer evento. Coordenação d3system.
  • Tormenta 10 Anos – Uma palestra do Trio (Cassaro, Saladino e Trevisan) para comemorar os 10 anos do cenário nacional mais amado e polêmico de todos os tempos.
  • Mesa de Vidro – Um bate papo sobre o evento e o mercado com a Equipe d3system e editores convidados.
  • Stands: Editoras, expositores e associações terão seu espaço no pavilhão vermelho.
  • Encontro Nacional de Blogs: Uma sala de ponto de encontro fixa, um espaço com rede wireless no pavilhão cinza e a presença dos autores e escritores dos principais blogs de RPG do Brasil. A RPGCON inteira nasceu para abrigar essa festa – e o d3system também estará lá.

Isso mesmo que vocês estão lendo galera! Esse ano o Encontro de Blogs de RPG será muito maior, tendo uma sala fixa com pontos wireless de acesso a internet e tudo mais! Esse ano teremos muito mais gente experiente ajudando a organizar o evento e muito mais tempo que dará mais espaço para discussões além de apenas apresentações como aconteceu no ano passado!

Lembrando que eu esse ano não estarei, já que a data do evento coincide com a proximidade da data do nascimento do meu filhote. Vou tentar dar as caras nem que seja pela web, veremos!